Aprendizagem organizacional e inovação: contribuições da Gestão do Conhecimento para propulsionar um ambiente corporativo focado em aprendizagem e inovação

Talita Caetano Silva, Fabrício Burger

Resumo


As mudanças no mundo produtivo têm sido acompanhadas pela nova natureza das trajetórias de carreira, caracterizada pela multidirecionalidade, dinamicidade e fluidez. Se outrora as pessoas objetivavam servir às organizações, dedicando vidas inteiras ao trabalho, na contemporaneidade a expectativa é inversa: espera-se que as organizações sirvam às pessoas, em relações cuja duração pode ser facilmente reduzida – o que se constitui como um desafio às instituições de trabalho. O século XXI evidencia significativamente a utilização do conhecimento, o qual quebra paradigmas suscitando novos valores organizacionais. Instaura-se aí a sociedade do conhecimento. Temáticas como aprendizagem organizacional (AO) e inovação organizacional são imprescindíveis no contexto atual de trabalho, constituindo-se como ferramentas e perspectivas que podem implicar na permanência do colaborador na organização e também na contribuição deste no alcance dos objetivos organizacionais. O novo ambiente de trabalho é caracterizado por uma mudança social advinda da globalização e do avanço de tecnologias e cabe à Gestão do Conhecimento (GC) orientar, manter e promover espaços de socialização do conhecimento.  O presente estudo, buscou apresentar a partir de uma revisão bibliométrica, de que modo os temas inovação e AO entrelaçam-se com a GC. Os resultados apontam que apesar da GC ser pontuada como importante estratégia na potencialização da AO e da inovação, ainda assim é pouco enfatizada, atuando por vezes, apenas em momentos específicos das atividades organizacionais. É necessário haver mais estudos que aprofundem a importância da GC aliada à AO e à inovação.


Palavras-chave


Inovação organizacional. Aprendizagem organizacional. Gestão do Conhecimento.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ALBUQUERQUE, M. E. E. Modelos de ‘excelência’ gerencial nos institutos e centros de P&D brasileiros: entre falácias, modismos e inovações. (Tese de Doutorado) – Programa de Pós-Graduação, Universidade Estadual de Campinas, 2011.

BARDIN, L. Análise de Conteúdo. Lisboa: Ed 70, 1977.

BITTENCOURT, C. C.; AZEVEDO, D. O futuro da aprendizagem organizacional: possibilidades e desafios. Revista de Administração de Empresas, n. 46, p. 110-112, 2006.

CASTRO, A. W. V. de; TOURINHO, M. M.; GOLLO, S.S. Inovação de valor como instrumento de desenvolvimento do agronegócio na Amazônia Oriental. 2011. Disponível em: . Acesso em: 1 out. 2017.

COSTA, P. R.; PORTO, G. S. Capacitação e Inovação: Aspectos do desenvolvimento interno e externo nas multinacionais brasileiras. Administração de Ciência e Tecnologia, v. 18, n. 3, p. 297-322, 2011.

FLEURY, A.; FLEURY, M. T. L. Os Desafios de Aprendizagem e Inovação

Organizacional. Rae light., v. 2, n. 5, p. 14-20, 1994.

FLEURY, M. T. L. Aprendendo a Mudar, Aprendendo a Aprender. Revista de

Administração, v. 30, n. 30, p. 5-11, 1995.

FORNASIER, C.B.R.; DEMARCHI, A.P.P.; MARTINS, R. F.F. Análise comparativa das competências dos gestores de design e gestores de organizações colaborativas familiares da vitivinicultura. Perspectivas em Gestão e Conhecimento, v. 4, n. 2, p. 107-125, 2014.

GOMES, R. K.; LAPOLLI, E. M. Os estímulos e barreiras à criatividade no ambiente organizacional. Revista Borges, v. 4, p. 03-12, 2014.

GUBIANI, F. J. S. et al. A transferência para o mercado do conhecimento produzido na pesquisa acadêmica. Navus - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, v. 3, n. 2, p. 114-124, 2013.

INAZAWA, F. K. O papel da cultura organizacional e da aprendizagem para o sucesso da gestão do conhecimento. Perspectivas em Ciência da Informação, v. 14, n. 3, p. 206-220, 2009.

LUCHESI, E.S.F. Gestão do conhecimento nas organizações. Companhia de engenharia de tráfego SP- notas técnicas. [2012]. Disponível em: . Acesso em: 1 out. 2017.

MARTINS, V.W.B.; NEVES, R.M.; MACEDO, A.N. Análise do desenvolvimento de competências gerenciais na construção civil através do modelo da Aprendizagem Baseada em Problemas adaptado ao contexto organizacional. Revista Ambiente Construído, v. 14, n. 1, p.155-175, 2013.

PACHECO, R. C. S.; TOSTA, K. C. B. T.; FREIRE, P. S. Interdisciplinaridade vista como um processo complexo de construção de conhecimento: uma análise do Programa de Pós-Graduação EGC/UFSC. RBPG. Revista Brasileira de Pós-Graduação, v. 7, p. 136-159, 2010.

PAIXÃO, M. V. A influência da cultura na aprendizagem organizacional. Hórus (FAESO), Ourinhos e região, v. 1, p. 1-12, 2003.

PINTO, M. J. S. Gestão do conhecimento no DATASUS: explorando um modelo para construção de um ambiente tecnológico de apoio. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação, Fundação Oswaldo Cruz, Rio de Janeiro, 2012.

RODRIGUEZ GOMÉZ, D.; JOAQUÍN, G. S. Innovation, Organisational Learning and Knowledge Management in Educational Organisations, Educación, v. 24, n. 46, p. 73-90, 2015.

SANTIAGO, W.R. T. Parâmetros para elaboração de um modelo de competências para o desenvolvimento dos gestores científicos do Instituto Oswaldo Cruz. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação, Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), Rio de Janeiro, 2012.

SARACENI, A. V. Gestão de conhecimento em aglomerados de empresas: rede de valor como instrumento para fortalecer o intercâmbio de conhecimento. Revista eletrônica estratégia & negócio, v. 6, n. 1, p. 89-107, 2013.

SCORSOLINI-COMIN, F.; INOCENTE, D. F.; MIURA, I. K. Aprendizagem organizacional e gestão do conhecimento: pautas para a gestão de pessoas. Revista brasileira de orientação profissional, v. 12, n. 2, p. 227-240, 2011.

SENTANIN, O. F. Dimensões estratégicas de recursos humanos e gestão de desempenho em uma empresa pública de pesquisa e desenvolvimento. Tese (Doutorado) - Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2012.

SILVA, A. S. et al. Nível de Prontidão Técnica das Intervenções Apropriadas para Técnicos de Enfermagem: Levantamento em Quatro Hospitais da Cidade de São Paulo. Revistas em Gestão em Sistemas de Saúde, v. 3, n. 1, p. 94-104, 2014.

SOUZA, D. B. L. Gestão do Conhecimento nas Organizações: desafios e oportunidades. Estação Científica (FESJF. Online), v. 3, n. 3, p.1-14, 2006.

STEIL, A. V. Um modelo de aprendizagem organizacional baseado na ampliação de competências desenvolvidas em programas de capacitação. Tese (Doutorado) - Programa de Pós-graduação em Engenharia de Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2002.

STEIL, A. V.; PACHECO, R. C. S. Aprendizagem organizacional e criação de conhecimento. Revista eletrônica de estratégia e negócios. v. 1, n. 2, p. 24-42, 2008.

TAKEUCHI, H.; NONAKA, I. Criação e dialética do conhecimento. In: TAKEUCHI, H; NONAKA, I. (Org.). Gestão do conhecimento. Porto Alegre: Bookman, 2008. p. 17-38.

TARTARI, J. et al. Competências individuais para a inovação: em busca do profissional inovador. Revista Espacios, v. 35, n. 11, p. 4-15, 2014.

TAVARES, M. das G. de P. Informação, aprendizagem e criação do conhecimento em comunidades de prática: um estudo de caso. Tese (Doutorado) - Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2011.

TORRES, T. Z. Colaboratórios em Instituições de PD&I: compartilhamento e disseminação do conhecimento. 2011. Disponível em . Acesso em: 01 out. 2017.

WIIG, K. M. Knowledge management: an introduction and perspective. Journal of Knowledge

Management, v. 1, n. 1, p. 6-14, 1997.

WILLERDING, I. A. V. et al. Indicadores relevantes para o sucesso do compartilhamento do conhecimento tácito nas empresas: evidências empírico-exploratórias em PMEs catarinenses. Revista gestão industrial, v. 11, p. 202-228, 2015.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2018.v8n1.p07-19.569

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.