Gestão por competência: uma análise das competências sob a perspectiva dos servidores do IBAMA de Santa Catarina

Fernando Clemente Cunha Bastos, Felipe Borges, Altir Webber de Mello Neto, Aretuza Balardin Sainz, Larisa Hemkemeier Webber de Mello

Resumo


Configura-se como um desafio às organizações contemporâneas, sejam elas públicas ou privadas, a utilização de instrumentos de gestão que possam proporcionar a sustentabilidade de certo grau de competitividade. Para a obtenção de vantagem competitiva, a prática e a literatura atual têm apontado para a gestão por competências como uma direção para este alcance. Assim, o presente artigo tem como objetivo analisar as competências sob a percepção dos servidores da área fiscal do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e Recursos Renováveis – IBAMA. Para tal a pesquisa foi classificada como aplicada, exploratória e descritiva, sendo também bibliográfica, documental e de campo, com base em entrevista semiestruturada, tratando-se de um estudo de caso. Estudou-se a organização, seu histórico e realizou-se uma análise organizacional. A justificativa da abordagem para adequar e rever as lotações dos servidores, identificando as lacunas e adequando a lotação de acordo com a competência e o conhecimento de cada servidor. Assim, foi possível analisar que a gestão por competência no meio institucional público, ou até mesmo privado, torna um ambiente de trabalho mais harmonioso. Grande parte dos agentes ambientais federais possui clareza muita bem definida e a importância do trabalho de cada um. Finalmente, como sugestão para a instituição é necessário que os gestores se dediquem em solucionar problemas internos na área da fiscalização.


Palavras-chave


Gestão. Competência. Serviço Público.

Texto completo:

PDF html

Referências


ANDRADE, C. R.; CKAGNAZAROFF, I. B. Seleção e Monitoramento de Empreendedores Públicos à Luz da Gestão por Competências. Revista de Administração Pública, v. 52, n. 3, p. 469-485, 2018.

ANDRADE. M. M. Introdução à metodologia do trabalho científico: elaboração de trabalhos na graduação. 10. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

BONELLI, F.; CABRAL, S. Efeitos das competências no desempenho de contratos de serviços no setor público. Revista de Administração Contemporânea, v. 22, n. 4, p. 487-509, 2018.

BRANDÃO, H. P.; BABRY, C. P. Gestão por competência: métodos e técnicas para mapeamento de competências. Revista do Servidor Público, Brasília, v. 56, n. 2, p. 179-194, 2005.

BRANDÃO, H. P.; GUIMARÃES, T. de A. Gestão de competência e gestão de desempenho: tecnologias distintas ou instrumentos de um mesmo construto? Revista de Administração de Empresas - RAE, São Paulo, v. 41, n. 1, p. 8-15, jan. 2001.

BRASIL. Lei nº. 7.735 de 22 de fevereiro de 1989. Dispõe sobre a extinção de órgão e de entidade autárquica, cria o Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis e dá outras providências. 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7735.htm. Acesso em: 10 mar. 2018.

BRASIL. Decreto nº. 5.707 de 23 de fevereiro de 2006. Institui a Política e as Diretrizes para o Desenvolvimento de Pessoal da administração pública federal direta, autárquica e fundacional. 2006. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_Ato2004-2006/2006/Decreto/D5707.htm. Acesso em: 10 mar. 2018.

CAPUANO, E. A. Gestão por competências no setor público: experiências de países avançados e lições para o Brasil. Revista do Serviço Público, Brasília, v. 66, n. 3, p. 371-394, 2015.

CHEETHAM, G.; CHIVERS, G. Towards a holistic modelo of professional competence. Journal of European Industrial Training, Bradford, v. 20, n. 5, p. 20-30, 1996.

______. The reflective (and competence) practitioner. A model of professional competence with seeks to harmonise the reflective practitioner and competence based approaches. Journal of European Industrial, Bradford, v. 22, n. 7, p. 267-276, 1998.

CRESWELL, J. W. W. Projeto de pesquisa: métodos qualitativo, quantitativo e misto. 2. ed. Porto Alegre: Bookman, 2010.

DUTRA, J. S. Administração de carreiras. São Paulo: Atlas, 1996.

DUTRA, J. S. Competências: conceitos e instrumentos para a gestão de pessoas na empresa moderna. São Paulo: Atlas, 2004.

DUTRA, J. S. HIPÓLITO, J. A. M.; SILVA, C. M. Gestão de pessoas por competência: o caso de uma empresa do setor de telecomunicações. Revista Administração Contemporânea, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 161-176, 2000.

FERREIRA. P. I. Gestão por competências. Rio de Janeiro: LTC, 2015.

FLEURY, A. FLEURY, M. T. L. Estratégias empresariais e formações de competências. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

FLEURY, M. T.; FLEURY, A. Construindo o conceito de competência. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 5, p. 183-196, 2001.

FLICK, U. Introdução à metodologia de pesquisa. Porto Alegre: Penso, 2012.

GRAMIGNA, M. R. Modelo de competências e gestão dos talentos. São Paulo: Makron Books, 2002.

IBAMA. IBAMA Santa Catarina. Página inicial. Disponível em: https://www.ibama.gov.br/institucional/unidades-do-ibama/ibama-sc#superintendenciadoibamaemsantacatarina. Acesso em: 10 mar. 2018.

MATTAR, J. Metodologia científica na era digital. 4. ed. São Paulo: Saraiva, 2017.

MALHOTRA et al. Introdução a Pesquisa de Marketing. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.

NONAKA, I. TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa. 13. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 1997.

PAIVA, K. C. M; MELO, C. O. L. Competências, gestão de competências e profissões: perspectivas de pesquisas. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 12, n. 2, p. 339-368, abr./jun. 2008.

PATALAS-MALISZEWSKA, J.; HOCHMEISTER, M. Modeling strategic-knowledgeresource management based on individual competencies in SMES. Contemporary Economics, v. 5, n. 2, p. 72-79, jun. 2011.

PERRENOUD, P. Construir as competências desde a escola. Porto Alegre: Artes Médicas Sul, 1999.

PORTER, M. E. Vantagem competitiva: criando e sustentando um desempenho superior. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

PRAHALAD, C. K.; HAMEL, G .The core competence of the corporation. Harvard Business Review, v. 68, n. 3, p. 1-17, maio/jun. 1990.

RABAGLIO, M. O. Seleção por competência. 4. ed. São Paulo: Educator, 2001.

RESENDE, E. O Livro das competências. Rio de Janeiro: Qualitymark, 2000.

ROPÉ, F.; TANGUY, L. Saberes e competências: o uso de tais noções na escola e na empresa. São Paulo: Papirus,1997.

RUAS, R. L; Gestão por competências: uma contribuição à estratégia das organizações. In: RUAS, R. L.; ANTONELLO, C. S.; BOFF, L. H. (org.). Aprendizagem organizacional e competências. Porto Alegre: Bookman, p. 25-68, 2005.

SANT’ANA, R. G. S.; et al. Competências na Formação em Administração: Um Estudo em Curso de Graduação de Universidade Pública Brasileira. RACE - Revista de Administração, Contabilidade e Economia, v. 16, n. 2, p. 479-504, 2017.

SEFIANI, N.; et al. Process of identifying competencies based on a functional approach. International Journal of Engineering Science and Technology, v. 4, n. 1, p. 265-275, jan. 2012.

SKORKOVÁ, Z. Competency models in public sector. Procedia Social and Behavioral Sciences, v. 230, p. 226-234, 2016.

SOUZA, E. C. L. de. Gestão de organizações de aprendizagem. Brasília: UnBSESI, 2001.

VALADÃO JÚNIOR, V. M.; et al. Formação de Competências do Gestor Público. Revista Capital Científico - Eletrônica, v. 15, n. 1, p. 1-18, 2017.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 4. ed. Porto Alegre: Bookmann, 2009.

ZARIFIAN, P. Objetivo competência: por uma nova lógica. São Paulo: Atlas, 2001.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2019.v9n1.p74-86.778

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.