Novas Formas Organizacionais no Setor Público: os Laboratórios de Inovação de Governo sob a Ótica da Teoria Neoschumpeteriana

Alessandro Carlos da Silva Junior, Magnus Luiz Emmendoerfer, Bruno Tavares, Antônio Vagner Almeida Olavo

Resumo


Este ensaio teve por objetivo apresentar, sob a ótica da teoria neoschumpeteriana ou evolucionária, os laboratórios de inovação de governo como novas formas organizacionais que procuram modificar a dinâmica das organizações públicas, através da absorção de conhecimento e da aprendizagem, do desenvolvimento de competências e capacidades, e da disseminação de inovações e novas tecnologias para o setor público. Diante disso, foram apresentados os aspectos da teoria neoschumpeteriana, relacionados à atuação e competitividade das organizações em um ambiente cada vez mais dinâmico, necessitando alterar as suas rotinas organizacionais, por meio da absorção de conhecimento, da aprendizagem e da inovação. Também foram apresentados as características e objetivos dos laboratórios de inovação de governo, justificando-os como novas formas organizacionais dentro do setor público, que através do dinamismo, cocriação e experimentação, procuram disseminar soluções inovadoras e novas tecnologias para as organizações públicas. Por fim, como contribuições, procurou-se destacar o desenvolvimento de esforços governamentais para tornar as organizações públicas mais eficiente na prestação de serviços, tendo a inovação como importante mecanismo para modificações sistêmicas, bem como apresentar questões relacionadas ao potencial de análise teórico/empírico da teoria neoschumpeteriana e dos laboratórios de inovação de governos.


Palavras-chave


Laboratórios de Inovação de Governo. Teoria Neoschumpeteriana. Setor Público.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ACEVEDO, Sebastián; DASSEN, Nicolás. Innovando para una mejor gestión: la contribución de los laboratorios de innovación pública. USA: IADB, 2016.

AMORIM, Wilson Aparecido Costa de; FISCHER, André Luiz. A aprendizagem organizacional e suas bases econômicas. Nova Economia, v. 23, n. 2, p. 329-366, 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S0103-63512013000200004.

BASTOS, Fernando Clemente Cunha; BORGES, Felipe; MELLO NETO, Altir Webber de; SAINZ, Aretuza Balardin; MELLO, Larisa Hemkemeier Weber de. Gestão por competência: uma análise das competências sob a perspectiva dos servidores do IBAMA de Santa Catarina. Navus, Florianópolis, v. 9, n. 1, p. 74-86, 2019. DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2019.v9n1.p74-86.778.

BERGUE, Sandro Trescastro. Gestão de pessoas: liderança e competências para o setor público. ENAP: Brasília, 2019. Disponível em: http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/4283. Acesso em: 14 nov. 2020.

BERTERO, Carlos O. Réplica 2 - “O Que é um Ensaio Teórico?” Réplica a Francis Kanashiro Meneghetti. Revista de Administração Contemporânea, v. 15, n. 2, art. 2, p. 338-342, 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-65552011000200012.

BURGOON, Judee K. The Challenge of Writing the Theoretical Essay. In: ALEXANDER, Alison; POTTER, W. James (org.) How to Publish Your Communication Research. London: Sage, 2001. p. 47-56.

BITTENCOURT, Cláudia Cristina. A gestão de competências gerenciais e a contribuição da aprendizagem organizacional. RAE-Revista de Administração e Estratégia, v. 44, n. 1, p. 58-69, 2004. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-75902004000100004.

CAVALCANTE, Pedro; CUNHA, Bruno Queiroz. É preciso inovar no governo, mas por quê? In: CAVALCANTE et al. (org). Inovação no setor público: teoria, tendências e casos no Brasil. Brasília: Enap: Ipea, 2017, p. 15-32. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=31178. Acesso em: 16 nov. 2020.

CAVALCANTE, Pedro; MENDONÇA, Letícia; BRANDALISE, Isabella. Políticas Públicas e Design Thinking: Interações para enfrentar desafios contemporâneos. In: CAVALCANTE, Pedro. (org.). Inovação e políticas públicas: superando o mito da ideia. Brasília: Enap: Ipea, 2019, p. 29-52. Disponível em: http://repositorio.ipea.gov.br/handle/11058/9383. Acesso em: 14 nov. 2020.

CERLEIAL, Liana. A contribuição Neoschumpeteriana e o desenvolvimento regional. In: CRUZ, Bruno de Oliveira et al. (org). Economia regional e urbana: teorias e métodos com ênfase no Brasil. Brasília: Ipea, 2011, p. 113-141.

DATHEIN, Ricardo. Teoria Neoschumpeteriana e desenvolvimento econômico. In: DATHEIN, Ricardo (org.) Desenvolvimentismo: o conceito, as bases teóricas e as políticas [online]. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2003. Estudos e pesquisas IEPE series, p. 193-222.

EMMENDOERFER, Magnus Luiz. Inovação e empreendedorismo no setor público. Brasília: ENAP, 2019. Disponível em: http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/4282. Acesso em: 14 nov. 2020.

EMMENDOERFER, Magnus Luiz. Movimento de laboratórios para inovação como lócus de solidariedade democrática e de enfrentamento à pandemia COVID-19. NAU Social, v. 11, n. 21, p. 413-426, 2020. DOI: http://dx.doi.org/10.9771/ns.v11i21.38500.

EMMENDOERFER, Magnus Luiz; OLAVO, Antônio Vagner Almeida; CARVALHO JÚNIOR, José Roberto A. Laboratórios de Inovação e a questão de sua introdução em organizações públicas. In: ENCONTRO DA ASSOCIAÇÃO NACIONAL DE PÓS-GRADUAÇÃO E PESQUISA EM ADMINISTRAÇÃO (ANPAD), 48., 2019, São Paulo. Anais do XLIII Encontro da ANPAD – EnANPAD. São Paulo: ANPAD, 2019.

FEITOZA, Márcio Amorim. Laboratório de Inovação: proposição de um modelo para a gestão central da Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ). 2018. 124 f. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração Pública), Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2018.

FERNANDES, Suelen Aparecida de Souza. Inovação no Setor Público: uma análise da inovação no âmbito da Administração Pública Federal sob o enfoque da co-criação.132f. Dissertação (Mestrado Profissional em Administração Pública) - Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2019.

FERRAREZI, Elisabete; LEMOS, Joselene; BRANDALISE, Isabella. Experimentação e novas possibilidades em Governo: aprendizados de um Laboratório de Inovação, Brasília: Enap, 2018. Disponível em: http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/3691. Acesso em: 14 nov. 2020.

FIGUEIREDO, Paulo N. Aprendizagem tecnológica e inovação industrial em economias emergentes: uma breve contribuição para o desenho e implementação de estudos empíricos e estratégias no brasil. Revista Brasileira de Inovação, v. 3, n. 2, p. 323-361, 2009. DOI: https://doi.org/10.20396/rbi.v3i2.8648901.

FLEURY; Maria Tereza Leme; FLEURY, Afonso Carlos Correia. Construindo o conceito de competências. RAC, Edição Especial, p. 183-196, 2001. DOI: https://doi.org/10.1590/S1415-65552001000500010.

GALHARDO, Cassiano. Laboratório de Inovação no Setor Público: um estudo sobre o MobLAB da cidade de São Paulo. 2019. 165 f. Dissertação (Mestrado em Cidades Inteligentes), Universidade Nove de Julho – UNINOVE, São Paulo, 2019.

GRANOVETTER, Mark. Ação econômica e estrutura social: o problema da imersão. RAE eletrônica, v. 6, n. 1, 2007. DOI: https://doi.org/10.1590/S1676-56482007000100006.

ISIDRO, Antônio. Gestão Pública Inovadora: um guia para a inovação no setor público. Curitiba: CRV, 2018.

ISIDRO-FILHO, Antônio. Inovação no setor público: evidências da gestão pública federal brasileira no período de 1999-2014. In: CAVALCANTE, Pedro et al. (org). Inovação no setor público: teoria, tendências e casos no Brasil. Brasília: Enap: Ipea, 2017, p. 165-178. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=31178. Acesso em: 16 nov. 2020.

MULGAN, Geoff. The radical’s dilemma: an overview of the practice and prospects of Social and Public Labs – Version 1. UK: Nesta, 2014. Disponível em: https://media.nesta.org.uk/documents/social_and_public_labs_-_and_the_radicals_dilemma.pdf. Acesso em: 15 dez. 2020.

NELSON, Richard R.; WINTER, Sidney G. Uma teoria evolucionária da mudança econômica. Campinas: Editora da Unicamp, 2005.

PUTTICK, Ruth; BAECK, Peter; COLLIGAN, Philip. I-teams: the teams and funds making innovation happen in governments around the world. UK: Bloomberg, 2014.

ORSI, Carolini Eccel; NEUBERGER, Daniela; CARIO, Silvio A. F. Características dos processos inovativos do setor industrial do Brasil e da região Sul 2006-2014: análise sob a perspectiva teórica neoschumpeteriana. Rev. Text. Econ., v. 22, n. 1, p. 32-58, 2019. DOI: https://doi.org/10.5007/2175-8085.2019v22n1p32.

RESENDE, Tamiris Cristhina; EMMENDOERFER, Magnus Luiz; VALADARES, Josiel Lopes; LIMA, Afonso Augusto Teixeira de Freitas de Carvalho. Atuação de empreendedores públicos na formulação de um programa de apoio ao desenvolvimento juvenil. Rev. Adm. UFSM, v. 10 n. 2, p. 318-337, 2017. DOI: https://doi.org/10.5902/1983465910251.

RISSARDI JÚNIOR, Darcy Jacob. A agroindústria canavieira do Paraná pós-desregulamentação: uma abordagem neoschumpeteriana. 2005. 136 p. Dissertação (Mestrado em Desenvolvimento Regional e Agronegócio), UNIOESTE, Toledo, 2005.

RISSARDI JÚNIOR, Darci Jacobi; SHIKIDA, Pery Francisco Assi; DAHMER, Vanessa de Souza Inovação, tecnologia e concorrência: uma revisita ao pensamento neoschumpeteriano. Economia & Tecnologia, v. 16, p. 117-130, 2009. DOI: http://dx.doi.org/10.5380/ret.v5i1.27308.

RODRÍGUEZ, Exequiel; GRANDINETTI, Rita. Laboratorios de Gobierno para la Innovación Pública: un estudio comparado de las experiencias americanas y europeas; RedInnolabs: Rosario, Argentina, 2018.

SANO, Hironobu. Laboratórios de Inovação no setor público: mapeamento e diagnósticos de experiências nacionais. Cadernos Enap. Brasília: Enap, 2020. Disponível em: https://repositorio.enap.gov.br/handle/1/5112. Acesso em: 16 nov. 2020.

SCHUURMAN, Dimitri; TÕNURIST, Piret. Innovation in the public sector: exploring the characteristics and potential of living labs and innovation labs. Technology Innovation Management Review, v. 7, n. 1, p. 7-14, 2016.

SILVA, Glessia; SILVA, Débora Eleonora Pereira da. Inovação aberta em serviços e o papel do cliente no ambiente de negócios: uma análise com estudantes universitários. Navus, Florianópolis, v. 5, n. 3, p. 74-87, 2015. DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2015.v5n3.p74-87.242.

SILVA JUNIOR, Adelson Felizardo da. Laboratórios de Inovação no setor público: diretrizes e possibilidades para a Universidade de Brasília. 2019. 91f. Dissertação (Mestrado Profissional em Gestão Pública), Universidade de Brasília, Brasília, 2019.

TEECE, David J.; PISANO, Gary; SHUEN, Amy. Dynamic capabilities and strategic management. Strategic Management Journal, v. 18, n. 7, p. 509–34. 1997. DOI: https://doi.org/10.1002/(SICI)1097-0266(199708)18:7<509::AID-SMJ882>3.0.CO;2-Z.

TIGRE, Paulo Bastos. Inovação e teorias da firma em três paradigmas. Revista de Economia Contemporânea, v. 2, n. 1, p. 67-111, 1998.

TÕNURIST, Piret; KATTEL, Rainer; LEMBER, Veiko. Descobrindo Laboratórios de Inovação no setor público. In: CAVALCANTE, Pedro et al. (org). Inovação no setor público: teoria, tendências e casos no Brasil. Brasília: Enap: Ipea, 2017, p. 179-204. Disponível em: https://www.ipea.gov.br/portal/index.php?option=com_content&view=article&id=31178. Acesso em: 16 nov. 2020.

TOREZANI, Tomás Amaral. Desenvolvimento econômico, instituições e inovação: a interação entre as abordagens institucionalista e evolucionária. Perspectiva Econômica, v. 10, n. 2, p. 67-79, 2014. DOI: https://doi.org/10.4013/pe.2014.102.01.

VALADARES, Josiel Lopes; ALCÂNTARA, Valderí de Castro; BOAS, Ana Alice Vilas; EMMENDOERFER, Magnus Luiz. Os discursos do empreendedorismo na administração pública brasileira: análise crítica de uma experiência contemporânea. Revista de Administração da UFSM, v. 10, n. 6, p. 990-1008, 2017. DOI: 10.5902/19834659 13412.

VIEIRA, Rosele Marques. Teoria da firma e inovação: um enfoque neoschumpeteriano. Cadernos de Economia, v. 14, n. 27, p. 36-49, 2010. DOI: https://doi.org/10.46699/rce.v14i27.1180.

WERNECK, Caio; FERRAREZI, Elisabete; BRANDALISE, Isabella; VAQUEIRO, Lucas; BONDUKI, Manuel. Ciclos de vida de laboratórios de inovação pública, ENAP: Brasília, 2020. Disponível em: http://repositorio.enap.gov.br/handle/1/5000. Acesso em: 14 nov. 2020.

WILLIAMSON, Ben. Testing governance: the laboratory lives and methods of policy innovation labs. Stirling: University of Stirling, 2015.

ZAHRA, Shaker A.; GEORGE, Gerard. Absorptive Capacity: a review, reconceptualization, and extension. Academy of Management Review, v. 27, n. 2, p. 185-203, 2002. DOI: https://doi.org/10.5465/amr.2002.6587995.

ZAMPIER, Marcia Aparecida; TAKAHASHI, Adriana Roseli Wünsch. Competências empreendedoras e processos de aprendizagem empreendedora: modelo conceitual de pesquisa. Cadernos EBAPE.BR, v. 9, edição especial, p. 564-585, 2011. DOI: https://doi.org/10.1590/S1679-39512011000600007.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2021.v11.p01-13.1470

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.