Análise da percepção de justiça no trabalho: o caso de uma instituição pública

Adilson Carlos da Rocha, Gilberto Francisco Ceretta, Vanessa Paludo Andretto

Resumo


O presente estudo é resultado de uma pesquisa sobre a percepção de justiça dos servidores de uma instituição pública esfera judiciária estadual localizada no Estado do Paraná. A pesquisa caracterizou-se como pesquisa descritiva, onde os dados foram coletados por meio de um survey. A avaliação permitiu identificar por meio da percepção dos servidores, alguns aspectos de grau forte, indiferentes e frágil, podendo assim diagnosticar possíveis motivos que contribuem ou não para a percepção dos servidores quanto à justiça no ambiente de trabalho. Para a aplicação e apuração dos resultados foram adotados os critérios apresentados por Gomide Jr. e Siqueira (2008). A coleta de dados ocorreu em um corte transversal no mês de julho de 2014 no próprio ambiente da instituição em estudo. Participaram da pesquisa 102 dos 140 servidores da instituição. Diante dos resultados obtidos identificou-se que as percepções sobre justiça distributiva apresentaram-se divididas em aproximados percentuais, sendo estes, entre os graus extremos avaliados (frágil e forte), onde 48 (47%) dos pesquisados avaliaram a distribuição de compensação e recompensas de forma positiva como um fator forte dentro da instituição e outros 41 (41%) consideraram um fator de fragilidade, ou seja, como um ponto negativo. Considerando a percepção de justiça procedimental apresentada por todos os servidores pesquisados, os resultados encontrados apontam uma percepção de grau frágil, pois 45 (44%) dos servidores indicaram estar insatisfeitos com os procedimentos utilizados pela instituição. Cabe ressaltar que os resultados da pesquisa sugerem um grau significante de insatisfação dos servidores com a percepção de justiça em sua instituição de trabalho.


Palavras-chave


Comportamento Organizacional. Justiça no ambiente de trabalho. Instituição Pública.

Texto completo:

PDF

Referências


ADAMS, J. S. Toward and understanding of inequity. Journal of Abnormal and Social

Psychology, Washington, v. 67, n. 5, p. 422-436, Nov. 1963.

ANDRADE, S. M. Percepção de justiça distributiva no clima organizacional: um estudo sobre organizações brasileiras que buscam se destacar pela qualidade do ambiente de trabalho. 96 p. Dissertação (Mestrado), Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2010.

ANDRADE, S. M.; STEFANO, S. R. Justiça distributiva: um estudo sobre as variáveis demográficas dos funcionários e sua percepção sobre o ambiente de trabalho. In: Enanpad, 35., 2011, Rio de Janeiro. Anais do XXXV Encontro da ANPAD. Rio de Janeiro: ENANPAD, 2011. p. 01-16.

ASSMAR, E. M. L.; FERREIRA, M. C.; SOUTO, S.O. Justiça organizacional: uma revisão crítica da literatura. Psicologia: Reflexão e crítica, v. 18, n. 3, p. 443-453, 2005.

COOPER, D. R.; SCHINDLER, P. S. Métodos de pesquisa em administração. 7. ed. Porto Alegre: Bookman, 2003.

COVACS, J. M. L. M. Bem-estar no trabalho: o impacto dos valores organizacionais, percepção de suporte organizacional e percepções de justiça. 117 p. Dissertação (Mestrado). Universidade Metodista de São Paulo, São Bernardo do Campo, 2006.

DELA COLETA, J. A.; SIQUEIRA, M. M. M. Situações de iniquidade no trabalho: preferência por soluções cognitivas e comportamentais. Arquivos brasileiros de psicologia, Rio de Janeiro, v. 38, n. 3, p. 1-19, 1986.

FILENGA, D.; SIQUEIRA, M. M. M. O impacto de percepções de justiça em três bases de comprometimento organizacional. Revista de Administração, São Paulo, v. 41, n. 4, p. 431-441, 2006.

GIL, A. C. Como elaborar projetos de pesquisa. 5. ed. São Paulo: Atlas, 2010.

GOMIDE JUNIOR, S. Antecedentes e consequentes das percepções de justiça no trabalho. 1999. Tese (Doutorado) - Universidade de Brasília, Brasília, Brasil.

GOMIDE JÚNIOR, S. Justiça nas organizações. In: SIQUEIRA, M. M. M.; GOMIDE JÚNIOR, S.; OLIVEIRA, A. F. (Org.). Cidadania, justiça e cultura nas organizações: estudos psicossociais. São Bernardo do Campo: Metodista, 2001. p. 15-102.

GOMIDE JÚNIOR, S.; SIQUEIRA, M. M. M. Justiça no trabalho. In: SIQUEIRA, M. M. (Org.). Medidas do comportamento organizacional: ferramentas de diagnóstico e de gestão. Porto Alegre: Artmed, 2008. p.189-197.

GOMIDE Jr., S.; LIMA, D. M.; FARIA NETO, W. Validade discriminante das medidas de

percepção de justiça de distribuição e percepção de justiça de procedimentos. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PSICOLOGIA, 26., 1996, Ribeirão Preto. Resumos de comunicações científicas. Ribeirão Preto: Sociedade Brasileira de Psicologia, 1996.

GREENBERG, J. Organizational Justice: Yesterday, Today, and Tomorrow. Journal of Management, v. 16, n. 2, p. 399-432, 1990.

LACOMBE; F. J. M. Recursos humanos: princípios e tendências. São Paulo: Saraiva, 2005.

LEVENTHAL, G.S. What should be done with equity theory? In: GERGEN, K.S.; GREENBERG, J.; WEISS, R.H. (Eds). Social exchange: advances in theory an research. New York: Plenum, 1980, p. 211-239.

MEIRELES, I. A. C. O impacto das percepções de justiça organizacional sobre as vivências de prazer e sofrimento no trabalho. 2006. 99 p. Dissertação (Mestrado) - Universidade Católica de Goiás, Goiânia, 2006.

MENDONÇA, H. Retaliação organizacional: o impacto dos valores e da justiça. 2003. Tese (Doutorado) - Universidade de Brasília (UNB), Brasília.

PAIVA, K. C. M.; LEITE, N. E. Justiça no trabalho e atitudes relatorias: um estudo com servidores técnicos administrativos de uma instituição federal de ensino superior. Revista Gestão & Tecnologia, Pedro Leopoldo, v. 11, n. 1, p. 50-67, jan./jun. 2011.

PAZ, M.G.T. Justiça distributiva na avaliação de desempenho dos trabalhadores de uma empresa estatal. In: REUNIÃO ANUAL DA SOCIEDADE BRASILEIRA DE PSICOLOGIA, 23., 1993, Ribeirão Preto. Resumos de comunicações científicas. Ribeirão Preto: Sociedade Brasileira de Psicologia, 1993.

PEREIRA, J. B. C. A relação entre as dimensões de justiça organizacional e as atitudes dos indivíduos diante da diversidade. 329 f. 2008. Tese (Doutorado em Administração) - Universidade Presbiteriana Mackenzie, São Paulo, 2008.

RAWLS, J. A Theory of justice. Cambridge: Harvard University Press, 1971.

REGO, A. Justiça nas organizações: na senda de uma nova vaga? In: RODRIGUES, S. B; CUNHA, M. P.(Org.). Estudos organizacionais: novas perspectivas na administração de empresas. Uma coletânea luso-brasileira. São Paulo: Iglu, 2000. p. 251-283.

REGO, A. Comprometimento afetivo dos membros organizacionais: o papel das percepções de justiça. Revista de Administração Contemporânea, Curitiba, v. 6, n. 2, p. 209-241, 2002.

SIQUEIRA, M. M. M.; GOMIDE Jr., S. Os vínculos do indivíduo com a organização e com o trabalho. In: ZANELLI, J. C.; BORGES-ANDRADE, J. E.; BASTOS, A., V., B. (Org.). Psicologia Organizacional e Trabalho. Porto Alegre: Artmed, 2004. p. 316-350.

SIQUEIRA, M.M.M. et al. Análise de um modelo pós-cognitivo para intenção de rotatividade. In: Congresso Internacional de Psicologia, 26., 1996, São Paulo. Resumos... São Paulo: Sociedade Interamericana de Psicologia,1996.

SPINELLI, R. Q. Um estudo sobre os comportamentos políticos no contexto organizacional. 2010. 128 p. Dissertação (Mestrado) - Fundação Getúlio Vargas, Rio de Janeiro, 2010.

SOUSA, W. M. V. As percepções de comportamentos éticos e de justiça: seus impactos no elo afetivo indivíduo-organização. 2005. 93 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Federal de Uberlândia, Uberlândia.

WAGNER III, J. A.; HOLLENBECK, J. R. Comportamento organizacional. São Paulo: Saraiva, 2006.

WITT, L. A.; BROACH, D. Exchange ideology as a moderator of the procedural justice: satisfaction relationship. The Journal of Social Psychology, Heldref, v. 133, n. 1, p. 97-103, Feb. 1992.

WITT, L. A.; WILSON, J.W. Income sufficiency as a predictor of job satisfaction and organizational commitment: dispositional differences. The Journal of Social Psychology, Heldref, v. 130, n. 2, p. 267-268, Apr. 1990.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2016.v6n3.p97-110.385

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.