Análise das inter-relações das patentes das universidades sob a perspectiva de mercado

Antonio Martins Oliveira Junior, Jair Jefferson Maia de Almeida

Resumo


A Lei de Inovação 10.973/2004 propiciou às universidades o estímulo necessário para a promoção do desenvolvimento econômico do país. Consequentemente, permitiu aos professores pesquisadores das universidades públicas produzirem inovações como resultado de suas pesquisas, por meio do suporte à pesquisa e à transferência de tecnologia. Dessa maneira, faz-se necessário que haja o desenvolvimento da propriedade intelectual alinhado com o mercado. Para isso, existe a necessidade de uma interação entre os detentores do conhecimento e os centros produtivos. Sendo assim, esse artigo trata-se de uma pesquisa exploratória sobre a temática, de forma que gere uma discussão no meio acadêmico sobre a necessidade de desenvolver tecnologias que de fato possam ser incorporados pelo mercado. Além disso, possui uma abordagem qualitativa na construção do referencial teórico, e quantitativa na análise dos dados, sendo que estes foram recuperados na base do INPI e exportados para o Microsoft ExceI, para o tratamento e análises das informações. Após as padronizações de acordo com a Classificação Internacional de Patentes (IPC) e por estado, os dados foram interpretados e inter-relacionados com o contexto da economia de cada estado da região nordeste, por meio de dados secundários. No entanto, ficou evidenciado que apesar das instituições de ensino buscarem solicitar a proteção de seus ativos, tais tecnologias não possuem uma relação com as demandas dos centros produtivos.


Palavras-chave


Mercado. Propriedade intelectual. Patente. Universidade.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


AB AZIZ, Kamarulzaman, HARRIS, Hezlin, AB AZIZ, Nor A. Intellectual property valuation decision support system for university research output: a conceptual model. Communications of the IBIMA, King of Prussia, v. 2012, n. 1, p. 1 – 17, 2012.

ANDRADE, H. S.; CHAGAS JR, M. F.; URBINA, L. M. S.; SILVA, M. B. Application of a Process Model for the Management of Intellectual Property in a Technology Licensing Office from a Brazilian Research Center. International Journal of Innovation, São Paulo, v. 5, n. 3, p. 1-19, 2017.

ALAGOAS. Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio. Alagoas em Mapas 2014 [online]. Disponível em: http://dados.al.gov.br/dataset/a6504404-4b0a-47c4-a907-ae5645105ccd/resource/f999b3ba-b09c-43da-b58d-c80bd1dff3d3/download/alagoasemmapas2014edicao02.pdf. Acesso em: 2 jun. 2018.

BAHIA. Superintendência de Estudos Econômicos e Sociais da Bahia (SEI). PIB dos Municípios baianos [online]. Disponível em: http://www.sei.ba.gov.br/index.php?option=com_content&view=article&id=2577:sei-divulga-dados-dos-pib-dos-municipios-baianos&catid=10&Itemid=565. Acesso em: 25 jun. 2018.

BRASIL. Lei 10.973, de 02 de dezembro de 2004. Regula e incentiva a inovação e à pesquisa científica e tecnológica. Diário oficial da República Federativa do Brasil. Poder Executivo, Brasília, DF, 02 de dezembro de 2004.

BRASIL. IBGE. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística. Produto Interno Bruto dos Municípios, base 2010 – 2015 [online]. Disponível em: https://www.ibge.gov.br/estatisticas-novoportal/economicas/contas-nacionais/9088-produto-interno-bruto-dos-municipios.html?=&t=resultados. Acesso em: 19 jun. 2018.

BRITTES, José L. P., SALLES FILHO, Sergio L. M., PEITZNER, Mariana S. Modelo e ferramenta de gestão estratégica da propriedade intelectual: estudo de caso e aplicação em uma empresa de saneamento. Qualitas Revista Eletrônica, João Pessoa, v. 17, n. 2, p. 112 – 131, maio/ago. 2016.

CEARÁ. Secretaria do Planejamento e Gestão do Estado do Ceará. Indicadores Econômicos do Ceará 2016 [online]. Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (IPECE). Disponível em: http://www.ipece.ce.gov.br/publicacoes/Indicadores_Economicos_2016.pdf. Acesso em 12 jun. 2018.

CERVO, Amado L. BERVIAN, Pedro A. SILVA, Roberto da. Metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2007.

FUJINO, Asa; STAL, Eva. Gestão da propriedade intelectual na universidade pública brasileira: diretrizes para licenciamento e comercialização. Revista de Negócios, v. 12, n. 1, p. 104 – 120, jan./mar. 2007.

GARNICA, Leonardo A.; TORKOMIAN, Ana L. V. Gestão de tecnologia em universidades: uma análise do patenteamento e dos fatores de dificuldade e de apoio a transferência de tecnologia no Estado de São Paulo. Gestão & Produção, v. 16, n. 4, p. 624 – 638, out./dez. 2009.

INPI, Instituto Nacional de Propriedade Intelectual. Base de patentes. Disponível em. www.inpi.gov.br/. Acesso em: 4 mai. 2018.

LOIOLA, Elisabeth; MASCARENHAS, Tatiane. Gestão de Ativos de Propriedade Intelectual: um Estudo sobre as Práticas da Braskem S.A. Revista de Administração Contemporânea, v. 17, n. 1, p. 42 – 63, jan./fev. 2013.

MARANHÃO. IMESC. Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos. Boletim de Conjuntura Econômica Maranhense 2017 [online]. Disponível em: http://imesc.ma.gov.br/src/upload/publicacoes/Boletim_de_Conjuntura_final3.pdf. Arquivo capturado em 23 de junho de 2018.

MARANHÃO. IMESC. Instituto Maranhense de Estudos Socioeconômicos e Cartográficos. Produto Interno Bruto do Estado do Maranhão: período 2010 a 2015 [online]. Disponível em: http://imesc.ma.gov.br/src/upload/publicacoes/DivulgacaoPIB_2015.pdf. Arquivo capturado em 23 de junho de 2018.

MINAYO, Maria C. S. Pesquisa social: Teoria, método e criatividade. Petrópolis: Ed. Vozes, 2002.

PARAÍBA. Secretaria de Planejamento, Orçamento e Gestão. Relatórios de atividades [online]. Disponível em: file:///C:/Users/jair.almeida/Downloads/RELAT%C3%93RIO+DE+ATIVIDADES_IDEME_2015.pdf.PDF. Arquivo capturado em 25 de junho de 2018.

PERNAMBUCO. Agência Estadual de Planejamento e Pesquisas de Pernambuco. Base de Dados do Estado 2015 [online]. Disponível em: http://www.bde.pe.gov.br/visualizacao/Visualizacao_formato2.aspx?codFormatacao=1569&CodInformacao=1300&Cod=3. Arquivo capturado em 23 de junho de 2018.

PERNAMBUCO. Agência de Desenvolvimento Econômico de Pernambuco. Invest in Pernambuco 2018 [on line]. Disponível em: http://www.investinpernambuco.pe.gov.br/web/invest/grandes-empresas-no-estado. Arquivo consultado em 23 de junho de 2018.

PIAUÍ. CEPRO. Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí. Conjuntura Econômica e Social, Boletim Analítico Anual, 2017 [online]. Disponível em:http://www.cepro.pi.gov.br/download/201804/CEPRO16_e97cc81a1d.pdf. Arquivo capturado em 19 de junho de 2018.

PIAUÍ. CEPRO. Fundação Centro de Pesquisas Econômicas e Sociais do Piauí. Produto Interno Bruto do Piauí 2015 [online]. Disponível em:http://www.cepro.pi.gov.br/download/201711/CEPRO23_a076b68dc8.pdf.Arquivo capturado em 19 de junho de 2018.

PRODANOV, Cleber C.; FREITAS, Ernani C. de. Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Ed. Feevale, 2013.

RIO GRANDE DO NORTE. Secretaria de Estado do Planejamento, Gestão e Patrimônio. Produto Interno Bruto dos Municípios de Sergipe 2015 [online]. Disponível em: http://www.observatorio.se.gov.br/images/PIB_Municipal/Relatorio_PIB_Municipal_2015_vf_17_04.pdf. Arquivo capturado em 19 de junho de 2018.

SERGIPE. Instituto de Desenvolvimento Sustentável e Meio ambiente do RN. Produto Interno Bruto do Estado e dos Municípios do Rio Grande do Norte 2010 – 2015 [online]. Disponível em: http://www.adcon.rn.gov.br/ACERVO/idema/DOC/DOC000000000171454.PDF. Arquivo capturado em 25 de junho de 2018.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2019.v9n4.p139-160.907

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.