Análise do arranjo empresarial de uma cooperativa de apicultores da região de Sorocaba-SP pelo método de clustering

Sandro Eduardo de Souza, Waldemar Bonventi Jr., Daniel Bertoli Gonçalves

Resumo


As escolhas de localização são extremamente importantes para as organizações produtivas, por trazerem impactos significativos sobre sua cadeia de valor e sobre os custos operacionais das empresas. A análise de agrupamentos ou clustering é uma ferramenta matemática com capacidade de oferecer informações estratégicas para este tipo de problema. Neste sentido, o presente estudo buscou aplicar a análise de agrupamentos para definir oportunidades de redução de custos na rede de distribuição de mel de uma Cooperativa de Apicultores de Sorocaba-SP, da qual participam 357 cooperados distribuídos em 75 municípios, em um raio de atuação de mais de 200 km. A área abrangida pelos municípios e suas localizações foi dividida em grupos, onde foram analisadas distâncias e custos de transportes, através de algoritmo de agrupamentos. Os resultados apontaram que a redução de custos poderá ser obtida mediante instalação de centros de distribuição em pontos estratégicos da área de abrangência da cooperativa.


Palavras-chave


Arranjo produtivo. Localização. Agrupamentos. Clustering. Mel.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BALLOU, R. H. Gerenciamento da cadeia de suprimentos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

BATALHA, M. O. (coord.). Gestão agroindustrial, GEPAI: grupo de estudos e pesquisas agroindustriais. 3. ed. São Paulo: Atlas, 2007.

BESERRA, M.R. ASSOCIATIVISMO RURAL: estratégia de participação dos agricultores familiares para afirmação e defesa dos seus direitos no mercado. In: JORNADA INTERNACIONAL DE POLÍTICAS PÚBLICAS, 6., 2013, São Luís do Maranhão. Anais [...]. São Luís do Maranhão: Universidade Federal do Maranhão, 2013.

BEZDEK, J. C.; EHRLICH, R.; FULL, W. F. C. M: The fuzzy c-means clustering algorithm. Computers & Geosciences, v. 10, n. 2-3, p. 191-203, 1984.

BRASIL. Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Evolução do cooperativismo no Brasil: DENACOOP em ação. Brasília: MAPA, 2006.

BRITO, F. E. M. Agricultores, cooperativas e a organização da produção de mel no território nordeste II. In: CONGRESSO LUSO AFRO BRASILEIRO DE CIÊNCIAS SOCIAIS.,11., 2011, Salvador. Anais [...]. Salvador: Universidade Federal da Bahia, Campus de Ondina, 2011.

CABETE, N. P. F.; DACOL, S. Identificação das características dos Arranjos Produtivos Locais. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO (ENEGEP), 28., 2008, Rio de Janeiro. Anais [...]. Rio de Janeiro: ABEPRO, 2008.

FAO. Organização das nações unidas para a alimentação e agricultura. Cooperativas agrícolas, a chave para reduzir a fome e a pobreza. 2012. Disponível em: http://humanitasdhecidadania.blogspot.com/2012/09/cooperativas-agricolas-chave-para.html. Acesso em: 18 nov. 2015.

FENG, Li; HENDRIKSE, George. On the nature of a cooperative: a system of attributes perspective. Netherlands: ERIM Report Series Research in Management, 2007.

FLEURY, M. T. L. Cooperativas agrícolas e capitalismo no Brasil. São Paulo: Global, 1983.

GALDÁMEZ, E. V. C.; CARPINETTI, L. C. R.; GEROLAMO, M. C. Proposta de um sistema de avaliação do desempenho para arranjos produtivos locais. Gestão e Produção, São Carlos-SP, v. 16, n. 1, p. 133-151, jan./mar. 2009.

GARCIA, R.; MADEIRA, P. Uma avaliação da difusão de práticas de gestão da produção entre pequenas empresas em sistemas locais de produção. Produção, São Paulo, SP, v. 23, n. 1, p. 20-30, jan./mar. 2013.

GONÇALVES, A. T. P.; LEITE, M. S. A.; SILVA, R. M. Um estudo preliminar sobre as definições e as diferenças dos principais tipos de arranjos empresariais. Revista Produção Online, Florianópolis, SC, v. 12, n. 3, p. 827- 854, jul./set. 2012.

JAIN, A. K.; MURTY, M. N.; FLYNN, P. J. Data clustering: a review. ACM computing surveys (CSUR), New York, NY, USA, v. 31, n. 3, p. 264-323, 1999.

KELLER, P. F. Clusters, distritos industriais e cooperação interfirmas: uma revisão da literatura. Revista Economia & Gestão, Minas Gerais, v. 8, n. 16, p. 30-47, 2008.

LAKATOS, E.; MARCONI, M. A. Fundamentos de metodologia científica. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

LASTRES, H. M. M.; CASSIOLATO, J. E. Mobilizando conhecimentos para desenvolver arranjos e sistemas produtivos e inovativos locais de micro e pequenas empresas no Brasil. RedeSist, 2005. Disponível em: http://www.ie.ufrj.br/redesist/P3/NTF2/Cassiolato%20e%20Lastres.pdf. Acesso em: 15 dez. 2018.

MACQUEEN, J. B. Some Methods for classification and Analysis of Multivariate Observations. [1967]. Disponível em: https://projecteuclid.org/euclid.bsmsp/1200512992. Acesso em: 15 dez. 2018.

MANZO, A. J. Manual para la preparación de monografías: una guia para presentar informes y tesis. Buenos Aires: Humanitas, 1971.

MARSHALL, A. Princípios de economia. São Paulo: Nova Cultura, 1920.

MARTINS, E. R.; SILVA, S. Estudo sobre as definições e as diferenças dos principais tipos de arranjos empresariais. In: ENCONTRO NACIONAL DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO, 35., 2015, Fortaleza. Anais [...]. Fortaleza, CE: UFC, 2015.

MARX, K. O capital. São Paulo: Nova Cultural, 1988.

PLEIN, C.; FILIPPI, E. E. Capitalismo, agricultura familiar e mercados. REDES, Santa Cruz do Sul, v. 16, n. 3, p. 98-121, set/dez 2011.

RITZMAN, L. P.; KRAJEWSKI, L. J.; MALHOTRA, M. Administração de produção e operações. 8. ed. São Paulo: Person Prentice Hall, 2009.

SCHMITZ, H.; NADVI, K. Clustering and industrialization: introduction. World Development, Oxford, v. 27, n. 9, p. 1503-1514, 1999.

SCHNEIDER, S.; NIEDERLE, P. A. Agricultura familiar e teoria social: a diversidade das formas familiares de produção na agricultura. In: SIMPÓSIO NACIONAL CERRADO, 9., 2009, Planaltina, DF. Anais [...]. Planaltina, DF: Embrapa Cerrados, 2009. p. 988-1014.

SOUZA, S. Otimização do arranjo empresarial da COAPIS - Cooperativa de Apicultores de Sorocaba e região. 2017. 116 f. Dissertação (Mestrado em Processos Tecnológicos e Ambientais) - Universidade de Sorocaba, Sorocaba, SP, 2017.

SUZIGAN, W. Identificação, mapeamento e caracterização estrutural de arranjos produtivos locais no Brasil. Relatório Consolidado. Rio de Janeiro: IPEA, 2006.

VEIGA, J. E. da. O desenvolvimento agrícola: uma visão histórica. São Paulo: Hucitec, 1991.

VENANZI, D. Uma análise dos modelos de consórcio modular e condomínio industrial na indústria automobilística brasileira sob a perspectiva de estratégia de operações. 2009. 207 f. Dissertação (Mestrado) - Universidade Estadual Paulista, Faculdade de Engenharia de Bauru, 2009. Disponível em: http://hdl.handle.net/11449/93025. Acesso em: 15 dez. 2018.

VIEIRA, S. Análise de variância (Anova). São Paulo: Atlas, 2006.

WU, X.; KUMAR, V. The top ten algorithms in data mining. Estados Unidos: Chapman & Hall/CRC, 2009.

XIE, X. L.; BENI, G. A validity measure for fuzzy clustering. IEEE Transactions on Pattern Analysis and Machine Intelligence, v. 13, p. 841–847,1991.

YIN, R. K. Estudo de caso: planejamento e métodos. 5. ed. Porto Alegre: Bookman, 2015.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2019.v9n2.p173-189.849

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.