O uso do mobile banking: uma aplicação do Modelo de Prontidão a Tecnologia (TRI) via Mínimos Quadrados Parciais (PLS)

Sérgio Ricardo Gaspar, Renato de Moraes Ferreira, Leandro Prearo

Resumo


Os avanços tecnológicos aos quais os consumidores são expostos são de suma importância para as organizações, assim como o acompanhamento da aprendizagem e aceitação do uso das tecnologias, e oferecimento de produtos e serviços. Este estudo definiu como objetivo principal avaliar o uso de serviços bancários associados ao mobile banking, através da aplicação do instrumento de medida utilizado por Parasuraman e Colby (2002) denominado TRI. Utilizou-se uma amostra de 261 clientes bancários, sendo que validados 219 questionários. A pesquisa aqui proposta pode ser classificada, em função de sua natureza como básica, quanto à abordagem do problema como quantitativa, e do ponto de vista de seus objetivos, como exploratória e descritiva. Houve pesquisa de campo, com posterior tabulação dos dados coletados e análise dos resultados a partir de procedimentos estatísticos relevantes aos objetivos do estudo.


Palavras-chave


Mobile banking. Prontidão Tecnológica. TRI.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BRASIL. Banco Central do Brasil. 50 Maiores Bancos e o Consolidado do Sistema Financeiro Nacional. Disponível em:< http://www4.bcb.gov.br/fis/TOP50/port/Top50P.asp. >. Acesso em 10 jun. 2016.

COHEN, J. Statistical Power Analysis for the Behavioral Sciences. 2 ed. New York Psychology Press, 1998.

COSTA, B. A; PIRES, P. J. Avaliação dos Fatores Relacionados na Formação do Índice de Prontidão À Tecnologia - TRI (Technology Readiness Index) como Antecedentes do Modelo TAM (Technology Acceptance Model). In: ENANPAD, 29, 2005, Brasília. Anais. Brasília: ANPAD, 2005.

FEBRABAN. Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária 2014. Disponível em:< www.ciab.org.br/Downloads/pesq_2014.pdf >. Acesso em 10 jul. 2016.

GIL, A. C. Como Elaborar Projetos de Pesquisa - 4.ed. - São Paulo: Atlas, 2002.

HAIR J.F; HULT, T.M.; RINGLE, C.M.; SARSTEDT, M.A. Primer on Partial Least Squares Structural Equation Modeling (PLS-SEM). Los Angeles, SAGE, 2014.

HENSELER, J. RINGLE, C.M.; SINKOVICS, R. R. The Use of Partial Least Squares path Modeling in Intemational Marketing. Advances in International Marketing. v.20, p.277-319, 2009.

POUSTTCHI, K.; SCHURIG, M. Assessment of Today’s Mobile Banking Applications From the View of Customer Requirements. Procceding of the Hawaii International Conference on System Sciences. jan.5-8, Big Island, Hawaii, 2004.

PREARO, L. C. Os Serviços Públicos e o Bem-estar Subjetivo da População: uma modelagem multigrupos baseada em mínimos quadrados parciais. São Paulo, 2013. Tese (Doutorado em Métodos Quantitativos). Programa de Pós-Graduação em Administração, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade da Universidade de São Paulo, 2013.

PARASURAMAN, A.; COLBY, C. L. Marketing para Produtos Inovadores: como e por que seus clientes adotam tecnologia. Porto Alegre: Bookman, 2002.

PIRES, P. J.; COSTA FILHO, B. A. da. Fatores do Índice de Prontidão à Tecnologia (TRI) como Elementos Diferenciadores entre Usuários e Não Usuários de Internet Banking e como Antecedentes do Modelo de Aceitação de Tecnologia (TAM). RAC, Curitiba, v.12, n.2, p.429-456, abr./jun. 2008.

RINGLE, C. M.; SILVA, D. da; BIDO, D. Modelagem de Equações Estruturais com utilização do SmartPLS. Revista Brasileira de Marketing (REMark), v.13, n.2, mai. 2014.

RITA, L. P. S.; FILHO, J. C. V.; PAULA, M. A. Gadgets Eletrônicos: uma análise da adoção de produtos e serviços inovadores utilizando a Technology Readiness Index (TRI). In: ENANPAD, n.32, 2008, Rio de Janeiro. Anais. Rio de Janeiro: ANPAD, 2008.

SOUZA, R. V. Adoção de Produtos e Serviços Baseados em Tecnologia pelo Consumidor: uma avaliação da aplicabilidade da Technology Readiness Index no contexto brasileiro. Porto Alegre, 2002, 114p. Dissertação (Mestrado em Administração) – Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 2002.

SOUZA, R. V.; LUCE, F. B. Adoção de Produtos e Serviços Baseados em Tecnologia: uma Avaliação da Aplicabilidade do Technology Readiness Index (TRI) no Brasil. In: ENANPAD, 27, 2003, Atibaia. Anais. Atibaia: ANPAD, 2003.

SOUZA, _______. Avaliação da aplicabilidade do Technology Readiness Index (TRI) para a adoção de produtos e serviços baseados em tecnologia. Revista Contemporânea de Administração (RAC), v.9, n.3, 2005.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2018.v8n4.p08-21.694

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.