O teletrabalho na percepção dos teletrabalhadores e seus gestores: vantagens e desvantagens em um estudo de caso

Francieli Hau, Marilda Todescat

Resumo


Este trabalho aborda um tema proveniente das transformações nos ambientes organizacionais impulsionadas pela globalização e pelo avanço das tecnologias da informação e comunicação, o teletrabalho.  O presente estudo busca analisar a implantação do teletrabalho em uma organização com jurisdição estadual de acordo com a percepção dos teletrabalhadores e seus gestores, no que se refere ao perfil dos sujeitos, motivações para ingresso na modalidade e as vantagens e desvantagens na percepção dos teletrabalhadores e seus gestores. Para isso, utilizou-se como procedimentos metodológicos a abordagem qualitativa, a estratégia de estudo de caso e também o estudo longitudinal dividido em duas coletas de dados, realizadas através de questionários contemplando a turma ingressante por meio do edital 2/2016. As informações obtidas derivam de respostas de 34 teletrabalhadores na primeira coleta e 26 na segunda coleta de um universo de 45 participantes. Os principais resultados referem-se ao perfil dos optantes pelo teletrabalho, em sua maioria são mulheres, casadas e com filhos. A principal motivação apontada para a escolha dessa modalidade de trabalho deu-se pela facilidade de conciliar a vida profissional com a vida familiar. O perfil de personalidade apontou como principais características capacidade de conciliar a vida profissional e familiar no mesmo espaço, facilidade de concentração. Em relação as principais vantagens do teletrabalho foram elencadas qualidade de vida em família e maior opção de organizar o tempo livre. Quanto as principais vantagens na percepção dos gestores, aponta-se a maior produtividade e motivação dos teletrabalhadores. A análise dos dados também permitiu concluir que o programa não possui grandes desvantagens na percepção dos sujeitos, sendo citados por uma pequena parcela de teletrabalhadores apenas visão preconceituosa em relação ao teletrabalho e as oportunidades de carreira reduzida, na percepção dos gestores, a falta de legislação específica e vulnerabilidade de dados e recursos.


Palavras-chave


Teletrabalho. Teletrabalhadores. Vantagens. Desvantagens.

Texto completo:

PDF Html

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2006.

BRASIL. Lei 12.551, de 16 de dezembro de 2011. Altera o art. 6o da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT), aprovada pelo Decreto-Lei no 5.452, de 1o de maio de 1943, para equiparar os efeitos jurídicos da subordinação exercida por meios telemáticos e informatizados à exercida por meios pessoais e diretos. [2011]. Disponível em: . Acesso em: 21 maio 2016.

CASTELLS, Manuel. A Sociedade em Rede. 10. ed. São Paulo: Paz e Terra, 2007.

COSTA, I. S. A. Poder/saber e subjetividade na construção do sentido do teletrabalho.2003. Tese (Doutorado em Administração Pública de Empresas) - Fundação Getúlio Vargas (FGV), Rio de Janeiro, 2003.

ESTRADA, Manuel Martin Pino. Teletrabalho& Direito: o trabalho a distância e sua análise jurídica em face aos avanços tecnológicos. Curitiba: Juruá, 2014. 188 p.

GAMARSKI, Rachel. Brasileiros desejam mais flexibilidade no trabalho, diz CNI. 2015.Disponível em: . Acesso em: 25 abr. 2016.

LOJKINE, Jean. A revolução informacional. São Paulo: Editora Cortez, 2002.

MELLO, Alvaro. Teletrabalho (Telework): O Trabalho em Qualquer Lugar e a Qualquer Hora. Rio de Janeiro: Qualitymark, 1999.

PINEL, Maria de Fátima de Lima. Teletrabalhador. 2012. Disponível em: . Aceso em: 30 maio 2016.

RODRIGUES, Ana Cristina Barcellos. Teletrabalho: a tecnologia transformando as relações de trabalho. 2011. 142 f. Dissertação (Mestrado em Direito) – Universidade de São Paulo (USP), São Paulo, 2011.

SCHMIDT, Marina. Modalidade de home office ganha projeção em empresas dos setores público e privado. 2016. Disponí¬vel em: . Acesso em: 25 abr. 2016.

SCHROEDER, Jerusa Betina. Impactos do teletrabalho nas atividades dos docentes do Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI). 2007. 97 f. Dissertação (Mestrado em Administração) - Universidade Regional de Blumenau (FURB), Blumenau, 2007.

TOFFLER, Alvin A terceira onda. São Paulo: Record, 2002.

ZUFFO, João Antônio. A Sociedade e a Economia no Novo Milênio: Os empregos e as empresas no turbulento alvorecer do século xxi – Livro I – A tecnologia e a Infossociedade. São Paulo: Ed. Manole, 2004.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2018.v8n3.p37-52.601

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.