Associativismo como ferramenta de internacionalização de empresas: estudo de caso de uma associação comercial de Santa Catarina

Gisela Hodecker, Jeferson Lana, Suzete Antonieta Lizote, Miguel Angel Verdinelli

Resumo


Este estudo de caso pretende apresentar a situação do Núcleo de Comércio Exterior da
Associação Empresarial de uma cidade de Santa Catarina, em relação às estratégias do grupo e ao
associativismo. A criação de núcleos setoriais para uma Associação proporciona o estímulo ao
debate entre empresas do mesmo ramo que possuem interesses em comum para discutir
acontecimentos e planejar estratégias a adotar. Em relação ao Núcleo de Comércio Exterior, este
possui atualmente 15 participantes e os encontros acontecem mensalmente, visando o debate e
troca de experiências na área. Assim, neste estudo serão apresentados os principais itens do
planejamento estratégico elencados pelo grupo, bem como as ações realizadas e a realizar, com o
objetivo de apresentar o associativismo como uma ferramenta para internacionalização das
empresas. Quanto à revisão da literatura existente, o foco foi direcionado a dois itens principais:
internacionalização, em suas diferentes modalidades, e também o associativismo. Quanto à
pesquisa de campo, foram feitas entrevistas com representantes do núcleo, questionários com as
empresas participantes e pesquisa bibliográfica para relacionar a prática do núcleo com os
estudos existentes na área, utilizando livros, periódicos, meios eletrônicos e documentação
fornecida pelas empresas. Como principal resultado considerou-se a evidência de que, para a
amostra da população estudada, o associativismo é de grande relevância para os processos de
internacionalização.


Palavras-chave


Estratégias Competitivas. Internacionalização de Empresas. Associativismo.

Texto completo:

TEXTO COMPLETO Áudio

Referências


ABIT. Consórcio de Exportação. [2011]. Disponível em:

consorcio/oquee.shtml>. Acesso em: 20 set. 2011.

ABF. A ABF e ESPM lançam estudo sobre internacionalização. [2010]. Disponível em:

&codC=3&origem>. Acesso em: 07 dez. 2010.

ARMANDO, E. Competitividade internacional em têxteis. 171 f. Dissertação (Mestrado em

Administração) - Universidade de São Paulo, São Paulo, 2003.

BATEMAN, Thomas S; SNELL, Scott A. Administração: Construindo vantagem competitiva.

São Paulo: Atlas, 1998.

BONASSI, Fabio Angelo. O associativismo como estratégia competitiva no varejo: um estudo

de caso na Aremac-AM – Associação Regional de Empresas de Material de Construção da Alta

Mogiana. Revista Eletrônica de Administração, v. 2, n. 03, jul./dez., 2003.

BRASIL. Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior. [2011]. Comércio

Exterior. Disponível em: . Acesso em: 10 out. 2011.

CIELO, Ivanete Daga et al. Associativismo: união de pessoas por um objetivo comum. Projeto

Gerart, 2009. Apostila.

DUNNING, J. H. The ecletic paradigm of international production: a restatement and some

possible extensions. Journal of International Marketing Business Studies, v. 19, n. 1, p. 1-

, Spring, 1988.

DALALIBERA, Pedro. Rede de Empresas. [2011]. Disponível em:

Acesso em: 20 ago. 2011.

FILATOTCHEV, I.; STEPHAN, J.; JINDRA, B. Ownership structure, strategic controls and export

intensity of foreign-invested firms in transition economies. Journal of International

Business Studies, v. 39, p. 1133-1148, 2008.

FUNDAÇÃO DOM CABRAL. Internacionalização. [2011]. Disponível em:

org.br>. Acesso em: 20 set. 2011.

GARCIA, Sheila Farias Alves; LIMA, Gustavo Barbieri; CARVALHO, Dirceu Tornavoi. Redes

interorganizacionais de Cooperação para a Internacionalização. REGE – Revista de Gestão,

São Paulo, v.17, n.2, p. 209-224, abr./jun. 2010.

HOFFMANN, V. E.; MOLINA-MORALES, F. X.; MARTÍNEZ-FERNÁNDEZ, T. Redes de Empresas:

Proposta de uma tipologia para classificação aplicada na indústria de cerâmica de

revestimento. Revista de Administração Contemporânea, p. 103-127, 2007.

HYMER, S. The internationalization of capital. Journal of Economic Issues, v. 6, n.1, p. 91-

, Mar. 1972.

IBRASS. Associativismo. [2011]. Disponível em: . Acesso em: 21 ago.

LAMPERT, Adriana. Franquias. [2011]. Disponível em:

. Acesso em: 12 nov. 2011.

LEVITT, T. Globalization of Markets. Harvard Business Review, p. 92-102, May/June, 1983.

LOPEZ, José Manoel; GAMA, Marilza. Comércio Exterior Competitivo. São Paulo:

Aduaneiras, 2008.

LYNCH, R. P. Alianças de Negócios: uma arma secreta, inovadora e oculta para vantagens

competitivas. São Paulo: Makron Books, 1994.

MELÉNDEZ, E.; HAWLEY, J.; McCORMICK, L. The interest of business: business associations

and workforce development collaboration. International Journal of Business and Social

Science, v. 3, n. 1, Jan. 2012.

MINERVINI, Nicola. O exportador: ferramenta para atuar com sucesso nos mercados

internacionais. 3.ed. São Paulo: Makron Books, 2001.

MIRANDA, Maria Bernadete; MALUF, Clovis Antonio. O contrato de joint venture como

instrumento jurídico de internacionalização das empresas. [2011]. Disponível em:

Acesso em: 20 set. 2011.

PENG, M.W. The resouce-based view and International business. Journal of Management, v.

, n. 6, p. 803-829, 2001.

PENROSE, E. The Theory of the Growth of the Firm. Oxford: Oxford University Press, 1959.

PORTER, Michael E. Vantagem Competitiva. Rio de Janeiro: Campus, 1989.

PORTER, Michael E. Estratégia Competitiva: técnicas para análise de indústrias e da

concorrência. 2.ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2004.

RECEITA FEDERAL DO BRASIL. [2011]. Comércio Internacional. Disponível em:

. Acesso em: 09 out. 2011.

RUIGROK, W.; WAGNER, H. Internationalization and Performance: and organizational leaning

perspective. Management International Review, v.1, n.43, p.63-68, 2003.

SEBRAE. Associativismo. [2011]. Disponível em: . Acesso em:

set. 2011.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2012.v2n1.p03-14.571

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.