Análise de percepção de atores de Ciência, Tecnologia e Inovação em sistemas regionais e ambientes de inovação

Maria Angelica Jung Marques, Vívian Costa Alves, Roberto Carlos dos Santos Pacheco, Silvio Dagoberto Orsatto

Resumo


A análise de percepção consiste no levantamento de opinião de atores partícipes de um sistema complexo acerca de diferentes fatores que afetam sua participação e protagonismo. Recentemente a técnica foi utilizada para levantar a opinião de empresários, acadêmicos, gestores públicos e representantes da sociedade civil organizada em seis mesorregiões do Estado de Santa Catarina, no Brasil. Para tal, foi concebido o Framework ReCIS com 8 dimensões e 62 fatores de análise de percepção. Neste artigo, verifica-se a perspectiva de aplicação do mesmo Framework em outro sistema estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação (CTI) e em outra unidade de análise, parques tecnológicos, onde também atuam atores de múltiplos matizes. O artigo analisa as dimensões e fatores do Framework ReCIS e verifica as necessidades de alterações para sua aplicabilidade nesses novos contextos. Como conclusão pôde-se verificar que, mediante adaptações epistêmicas e de linguagem, a aplicabilidade não somente é viável como recomendável, com benefícios aos gestores de CTI em ambientes de inovação e em sistemas regionais de CTI.


Palavras-chave


Sistema de Ciência, Tecnologia e Inovação; Desenvolvimento Regional; Sistema de Inovação; Ambientes de Inovação.

Texto completo:

PDF Html

Referências


Alves, V. C. (2013). Impactos da gestão do conhecimento nos núcleos de inovação de tecnológica– NIT das Universidades Estaduais da Bahia. Dissertação de Mestrado, Senai Cimatec, Salvador.

BAHIA. (s.d.). SECTI. Acesso em 03 de Agosto de 2016, disponível em http://www.secti.ba.gov.br/arquivos/File/DECRETOS_E_LEIS/LEI8897.pdf

IBGE. (s.d.). Acesso em 15 de Julho de 2016, disponível em Instituto Brasileiro de Pesquisa e Estatística: http://www.ibge.gov.br/home/presidencia/noticias/pdf/analise_estimativas_2014.pdf

Kable, J. C. (Março de 1979). Decision Perception Analysis. Journal of Human Resources, 16, pp. 39-47.

Kable, J. C. (1983). Decision Perception Analysis-Measuring A Manager's Preference for Managing. Journal of management development, 2, pp. 3-18.

Lastres, H. M., Lemos, C., Falcón, M. L., Andrade, J. E., Magalhães, W., & Silva, M. M. (2014). O apoio ao desenvolvimento regional: a experiencia do BNDES e oportunidades para avanços. Revista do BNDES, 5-46.

Marques, M. A., & Sotuyo, J. C. (2014). Plataformas de C,T&I para geração de inovação na promoção do desenvolvimento territorial – O caso do Parque Tecnológico Itaipu. IV Congreso Internacional de Gestión Tecnológica e Innovación, (p. 15). Cartagena, Colombia.

MCTI. (2016). Estratégia Nacional de Ciencia, Tecnologia e Inovação 2016-2019. MInistério da Ciência Tecnologia e Inovação, Brasilia.

Pacheco, R. C., Selig, P. M., & Zucco, C. (2016). Conferência Estadual de Ciência, Tecnologia e Inovação de Santa Catarina: metodologia e resultados para o plano estadual de CTI. Florianópolis: Instituto Stela.

Santa Catariana. (15 de Janeiro de 2008). FAPESC. Fonte: http://www.fapesc.sc.gov.br/wp-content/uploads/2015/09/03092009lei_inovacao.pdf

Santa Catarina. (s.d.). Acesso em 15 de Julho de 2016, disponível em Conferencia Estadual de CTI: http://www.conferenciacti.sc.gov.br/?page_id=13319

Santa Catarina. (s.d.). Acesso em 19 de Julho de 2016, disponível em Secretaria de Estado de Desenvolvimento Sustentável: www.sds.sc.gov.br/cecop/index.php/download/doc.../22-lei-n-14-328-2008

SECTI - Secretaria de Ciencia Tecnologia e Inovação do Estado da Bahia. (2010). Acesso em 28 de julho de 2016, disponível em Portal do livro aberto em CTI: http://livroaberto.ibict.br/bitstream/1/724/13/Estadual%20Bahia.pdf

SECTI. (2004). Politica de Ciencia Tecnologia e Inovação para o Estado da Bahia. Salvador.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2017.v7n3.p86-94.538

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.