Desperdício e Perda de Conhecimento: Do que se trata?

Helio Aisenberg Ferenhof, Susanne Durst, Paulo Mauricio Selig

Resumo


Neste trabalho estamos interessados em desenvolver uma compreensão dos conceitos de desperdício de conhecimento e perda de conhecimento. Este último pode, no pior caso, levar a “uma diminuição da capacidade de ação efetiva ou tomada de decisão em um contexto organizacional específica” (DeLong, 2004, p. 21). Sendo que, desperdício de conhecimento significa que as empresas não estão usando a plena capacidade do conhecimento existente. Conforme descrito por Ferenhof (2011) é qualquer falha no processo de conversão do conhecimento. Assim, estas definições implicam diferenças entre os conceitos, a literatura, no entanto, sugere que muitos autores as utilizam alternadamente. Isso está correto? São os conceitos importantes e, de relevância? O presente artigo objetiva destacar a importância de ter uma melhor compreensão sobre esses conceitos. Acreditamos que a teoria e a prática empresarial irão beneficiar-se de uma melhor compreensão destes conceitos.


Palavras-chave


Knowledge Waste; Knowledge Loss; Knowledge Management; Survey.

Texto completo:

PDF (English)

Referências


Aiman-Smith, L., Bergey, P., Cantwell, A. R., & Doran, M. (2006). The coming knowledge and capability shortage. Research-Technology Management, 49(4), 15-23.

Bardin, L. (2011). Análise de Conteúdo. São Paulo: Edições 70.

Bauch, C. (2004). Lean product development: Making waste transparent (Doctoral dissertation, Massachussets Institute of Technology). Retrieved from https://dspace.mit.edu/handle/1721.1/81429

Bolisani, E., Pailoa, M. and Scarso, E. (2013). Knowledge protection in knowledge-intensive business services. Journal of Intellectual Capital, 14(2), 192-211. doi: 10.1108/14691931311323841

Brito, L. M. P., de Oliveira, P. W. S., & de Castro, A. B. C. (2012). Knowledge management in a public institution for technical assistance and rural extension of northeastern Brazil. Rev. Adm. Pública [online], 46(5), 1341-1366. doi: 10.1590/S0034-76122012000500008

DeLong, D. W. (2004). Lost knowledge: Confronting the threat of an aging workforce. Oxford, England: Oxford University Press.

Durst, S., & Wilhelm, S. (2011). Knowledge management in practice: Insights into a medium- sized enterprise’s exposure to knowledge loss. Prometheus, 29(1), 23-38. doi: 10.1080/08109028.2011.565693

Durst, S., & Wilhelm, S. (2012). Knowledge management and succession planning in SMEs. Journal of Knowledge Management, 16(4), 637-649. doi: 10.1108/13673271211246194

Durst, S., & Ferenhof, H. A. (2014). Knowledge leakages and ways to reduce them in small and medium-sized enterprises (SMEs). Information, 5(3), 440-450. doi: 10.3390/info5030440

Ferenhof, H. A. (2011). Uma sistemática de identificação de desperdícios de conhecimento visando à melhoria do processo de criação de novos serviços (Master’s thesis, Universidade Federal de Santa Catarina). Retrieved from https://repositorio.ufsc.br/handle/123456789/94998

Fink, A. G. (2013). How to conduct surveys: A step-by-step guide. Thousand Oaks, United States: Sage Publications.

Locher, D. (2008). Value stream mapping for lean development: A how-to guide for streamlining time to market. New York, United States: Productivity Press.

McQuade, E., Sjoer, E., Fabian, P., Nascimento, J. C., & Schroeder, S. (2007). Will you miss me when I’m gone? A study of the potential loss of company knowledge and expertise as employees retire. Journal of European Industrial Training, 31(9), 758-768. doi: 10.1108/03090590710846701

Nonaka, I., & Takeuchi, H. (1997). Criação do conhecimento na empresa: Como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação (2. ed.). Rio de Janeiro: Campus.

Sampieri, R. H., Collado, C. F., & Lucio, M. D. P. B. (2013). Metodologia de pesquisa (5. ed.). Porto Alegre: Penso.

Taiichi, Ō. (1988). Toyota production system: beyond large-scale production. Boca Raton, United States: CRC Press.

Tsui, E., Iske, P., & Boersma, W. (2005). Connected brains: Question and answer systems for knowledge sharing: concepts, implementation and return on investment. Journal of knowledge management, 9(1), 126-145. doi: 10.1108/13673270510583018

Ward, A. C. (2007). Lean product and process development. Cambridge, United States: Lean Enterprise Institute.

Womack, J. P., & Jones, D. T. (2004). A mentalidade enxuta nas empresas lean thinking:

elimine o desperdício e crie riqueza. Rio de Janeiro: Campus.


Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.