Assédio moral no trabalho e estratégias organizacionais no contexto do Instituto Federal Catarinense

Israel Vasconselos Cardoso, Micheline Ramos de Oliveira, Flávio Ramos

Resumo


O assédio moral no trabalho é um tema contemporâneo que vem ganhando importância crescente na sociedade. Em síntese, pode ser caracterizado como condutas inadequadas no local de trabalho que trazem graves consequências para o indivíduo em todas as suas dimensões, para as organizações e para a sociedade. Nesse contexto, o objetivo geral desta pesquisa é perscrutar as estratégias de gestão no Instituto Federal Catarinense para conscientização e prevenção do assédio moral no âmbito educacional e administrativo. Esta pesquisa é de natureza qualitativa, orientada pelo paradigma interpretativo, e faz parte do grupo das pesquisas exploratórias. Com relação às estratégias de investigação, optou-se pela pesquisa bibliográfica, documental e estudo de caso. A presente pesquisa foi desenvolvida no Instituto Federal Catarinense, e a pesquisa documental foi realizada entre 2014 e 2018, por meio do acesso às informações e documentos publicados nas páginas da instituição. As entrevistas presenciais foram realizadas com oito servidores da instituição no ano de 2019 e os dados e informações obtidos foram tratados utilizando-se a análise de conteúdo de Bardin. Após análise dos dados ficou evidenciado que as estratégias de gestão do assédio moral no Instituto Federal Catarinense são desenvolvidas especialmente pela Corregedoria, pela Comissão de Ética e pela Ouvidoria. Constatou-se que, apesar dos avanços identificados pelos entrevistados, é necessário o desenvolvimento de uma política de capacitação sobre o assédio moral no trabalho para todos os servidores da instituição.


Palavras-chave


Assédio moral no trabalho. Instituto Federal Catarinense. Estratégias de gestão.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 2006.

BRASIL. Decreto 5.480, de 30 de junho de 2005. Dispõe sobre o Sistema de Correição do Poder Executivo Federal, e dá outras providências. Brasília, DF: Presidência da República, Casa Civil, [2005]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2005/decreto/d5480.htm. Acesso em: 5 dez. 2019.

BURRELL, G. Ciência normal, paradigmas, metáforas, discursos e genealogia da análise. In: CLEGG, S. R.; HARDY, C.; NORD, W. R. (org.). Handbook de estudos organizacionais: modelos de análise e novas questões em estudos organizacionais. São Paulo: Atlas, 2007. cap. 17.

CORRÊA, A. M. H.; CARRIERI, A. de P. O assédio moral degradando as relações de trabalho: um estudo de caso no Poder Judiciário. RAP – Revista de Administração Pública, Rio de Janeiro, v. 38, n. 6, p. 1065-1084, 2004. Disponível em: http://bibliotecadigital.fgv.br/ojs/index.php/rap/article/view/6771/5353. Acesso em: 3 ago. 2018.

EINARSEN, S; HOEL, H. Bullying and mistreatment at work: how managers may prevent and manage such problems. In: KINDER, A; HUGHES R.; COOPER; Cary L. (eds.). Employee well-being support: a workplace resource. New York: John Wiley and Sons Ltd, 2008. p. 161-173.

EINARSEN et al. Workplace Bullying: individual pathology or organizational culture? In: BOWIE, V.; FISCHER, B. S.; COOPER, C. L. (ed..). Workplace Violence: issues, trends, strategies. Devon: Willian Publishing, 2005. p. 229-247.

FREITAS, M. E.; HELOANI, R.; BARRETO, M. Assédio moral no trabalho. 5. ed. São Paulo: Cengage Learning, 2017.

GAULEJAC, V. Do Assédio Moral ao Assédio Social. In: SEIXAS, J.; BRESCIANI, M. S. (org.). Assédio Moral: desafios políticos, considerações sociais, incertezas jurídicas. Uberlândia, MG: EDUFU, 2006. p. 71-92.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

HIRIGOUYEN, M. F. Assédio moral: a violência perversa do cotidiano. 16. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2017a.

______. Mal-estar no trabalho: redefinindo o assédio moral. 9. ed. Rio de Janeiro: Bertrand Brasil, 2017b.

INSTITUTO FEDERAL CATARINENSE. Plano de Integridade. Florianópolis: IFC, 2018. Disponível em: http://ifc.edu.br/wp-content/uploads/2018/06/PDFC-_ANEXO_Integridade-corrigido.pdf. Acesso em: 5 dez. 2019.

MARAZZO, L. M. et al. Assédio moral nas organizações e seus impactos. RGO – Revista Gestão Organizacional, Chapecó, v. 10, n. 1, p. 46-66, 2017. Disponível em: https://bell.unochapeco.edu.br/revistas/index.php/rgo/article/view/3605. Acesso em: 13 out. 2018.

MINAYO, M. C. S. et al. Pesquisa social: teoria, método e criatividade. 32. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2008.

MOREIRA, D. A. O método fenomenológico na pesquisa. São Paulo: Pioneira Thomson, 2002.

NUNES, T. S. Assédio moral no trabalho: o contexto dos servidores da Universidade Federal de Santa Catarina. 2011. Dissertação (Mestrado em administração) – Programa de Pós-Graduação em administração da Universidade Federal de Santa Catarina, UFSC, Florianópolis, 2011. 281 p.

NUNES, T.S.; TOLFO, S. R. Assédio moral no trabalho: consequências identificadas por servidores docentes e técnico-administrativos em uma universidade federal brasileira. Revista Gestão Universitária na América Latina – GUAL, Florianópolis, v. 5, n. 3, p. 264-286, 2012.

NUNES, T.S.; TOLFO, S. R.; NUNES, L. S. Assédio moral em universidade: a violência identificada por servidores docentes e técnico-administrativos. Organizações em contexto, São Bernardo do Campo, ISSNe 1982-8756, v. 9, n. 18, jul.-dez. 2013.

PRODANOV, C. C.; FREITAS, E. C. Metodologia do trabalho científico [recurso eletrônico]: métodos e técnicas da pesquisa e do trabalho acadêmico. 2. ed. Novo Hamburgo: Feevale, 2013.

RODRIGUES, M.; FREITAS, M. E. Assédio moral nas instituições de ensino superior: um estudo sobre as condições organizacionais que favorecem sua ocorrência. Cad. EBAPE.BR, Rio de Janeiro, v. 12, n. 2, artigo 6, abr./jun. 2014. Disponível em: http://www.scielo.br/pdf/cebape/v12n2/08.pdf. Acesso em: 17 jul. 2018.

SALIN, D. Workplace Bullying among Business Professionals: Prevalence, Organisational Antecedents and Gender Differences. Doctoral dissertation. Research Reports, Serie A, n. 117. Helsinki: Swedish School of Economics and Business Administration, 2003.

SOARES, F. C.; DUARTE, B. H. O assédio moral no ordenamento jurídico brasileiro. R. Fórum Trabalhista – RFT. Belo Horizonte, ano 3, n. 11, p. 21-47, mar./abr. 2014.

VERGARA, S. C.; CALDAS, M. P. Paradigma interpretacionista: a busca da superação do objetivismo funcionalista nos anos 1980 e 1990. In: CALDAS, M.; BERTERO, C. O. (coord.). Teoria das Organizações. São Paulo: Atlas, 2007. p. 223-234.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2020.v10.p01-18.1316

Apontamentos





NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.