Relação entre a conversão do conhecimento e o desempenho tecnológico

Marta Elisete Ventura da Motta, Maria Emilia Camargo, Mariane Camargo Priesnitz, Marina Bezerra da Silva, Suzana Leitão Russo, Jonas Pedro Fabris

Resumo


O conhecimento é considerado um dos mais importantes recursos intangíveis nas atuais organizações empresariais. A finalidade de atender às necessidades da sociedade por meio da produção tecnológica só se concretiza a partir da geração do conhecimento. O presente estudo teve como objetivo identificar a relação entre os modos de conversão do conhecimento e o desempenho tecnológico dos pesquisadores de Instituições de Ensino Superior do Sul do Brasil. A pesquisa foi exploratória e descritiva. Operacionalizou-se por meio de um levantamento do tipo survey, com uma amostra formada por 430 professores, pertencentes ao quadro permanente dos Programas de Pós-Graduação (PPGs) das IES do Sul do país. Com as análises realizadas, verificou-se que as dimensões Socialização, Externalização, Combinação e Internalização, que compõem o construto modos de conversão do conhecimento, explicam 79% do desempenho tecnológico das instituições estudadas. Foi possível afirmar, portanto, que modos de conversão do conhecimento impactam positiva e significativamente o desempenho tecnológico destas instituições.


Palavras-chave


Conhecimento. Desempenho. Instituições de Ensino. Pesquisador.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ALAVI, M.; LEIDNER, D. E. Review: knowledge management and Knowledge management systems: Conceptual foundations and Research issues. MIS Quarterly, v. 25, n. 1, p. 107-136, 2001.

BRASIL. Lei n. 10.973, de 02 de dezembro de 2004. Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências. Brasília-DF, 2004. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2004-2006/2004/lei/l10.973.htm. Acesso em: 28 dez. 2019.

BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação e Câmara de Educação Superior. Resolução n° 1, de 8 de junho de 2007. Estabelece normas para o funcionamento de cursos de pós-graduação lato sensu, em nível de especialização. Brasília-DF, 2007. Disponível em: http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/rces001_07.pdf. Acesso em: 28 dez. 2019.

BREZNITZ, S. M.; FELDMAN, M. P. The engaged university. Journal of Technology Transfer, v. 37, n.2, 139-157. 2012.

BORGES, M. N. Ciência, Tecnologia e Inovação para o Desenvolvimento do Brasil. Scientia Plena, v. 12, n. 8, 31 jul. 2016.

BYRNE, B. M. Structural equation modeling with AMOS: basic concepts, applications, and

Programming. 2. ed. New York: Routledge/Taylor & Francis Group, 2010.

CAMISÓN, C.; FORÉS, B. Knowledge absorptive capacity: new insights for its conceptualization and measurement. Journal of Business Research, v. 63, n. 7, p. 707-715, 2010.

COHEN, W. M.; LEVINTHAL, D. A. Absorptive capacity: a new perspective in learning and innovation. Administrative Science Quarterly, v. 17, n. 1, p. 178-84, 1990.

COHEN, L.; MANION, L.; MORRISON, K. Research Methods in Education. 5. ed. London: Routledge Falmer. 2000.

COLOMBO, S. S (org.). Gestão educacional: uma nova visão. Porto Alegre: Bookman, 2004.

CORTÉS, E. Demographic analysis as an aid in shark stock assessment and management. Fisheries research, v. 39, n. 2, p. 199-208, 1998.

CURI, C.; DARAIO, C.; LLERENA, P. University technology transfer: how (in) efficient are French universities? Cambridge Journal of Economics, v. 36, n. 3,p. 629-654. 2012.

DALMARIS, P. et al. A framework for the improvement of knowledge-intensive business processes. Business Process Management Journal, v. 13, n. 2, p. 279-305, 2007.

DAVENPORT, T. H.; PRUSAK, P. Conhecimento empresarial: como as organizações gerenciam o seu capital intelectual. Rio de Janeiro: Elsevier, 2003.

DIAS, A. A.; PORTO, G. S. Gestão de Transferência de Tecnologia na Inova Unicamp. RAC, Rio de Janeiro, v. 17, n. 3, art. 1, p. 263-284, Maio/Jun. 2013.

DILLON, W. R.; MADDEN, T. J.; FIRTLE, N. H. Marketing research in a marketing environment. St. Louis: Times Mirror, 1994.

ESPINO-RODRÍGUEZ, T. F.; PADRÓN-ROBAINA, V. A resource-based view of outsourcing and its implications for organizational performance in the hotel sector. Tourism Management, v. 26, n. 5, p. 707-721, 2005.

ETZKOWITZ, H; LEYDESDORFF, L. The dynamics of innovation: from National Systems and “Mode 2” to a Triple Helix of university-industry-government relations. Research Policy, v. 29, n. 2, p.109-123, 2000.

ETZKOWITZ, H. The evolution of the entrepreneurial university. International Journal of Technology and Globalisation. v. 1, n. 1, 64-77, 2004.

FABRIS, J. P. Motivação e barreiras para a cooperação universidade-empresa. 2016. 117 f. Tese (Doutorado em Ciência da Propriedade Intelectual) – Universidade Federal de Sergipe, São Cristóvão-SE, 2016.

FÁVERO, L.P. et al. Análise de dados: modelagem multivariada para tomada de decisões. Rio de Janeiro: Elsevier, 2009.

GALVÃO, A. C. F. et al. O quadro recente de emprego dos mestres e doutores titulados no Brasil. Parcerias Estratégicas, v. 21, n. 43, p. 147–172, 2016.

GASSET, J. O. Missão da universidade. Rio de Janeiro: Ed. da UERJ, 1999.

GRANT, R. M. Toward a knowledge-based theory of the firm. Strategic Management Journal, v. 17, n. 7, p. 109-122, 1996.

HAIR, Jr., J. F. et al. Análise multivariada de dados. 6. ed. Porto Alegre: Bookman, 2009.

HALL, C. M.; TIMOTHY, D. J.; DUVAL, D. T. Safety and Security in Tourism: Relationships, Management, and Marketing. [s.l.] Routledge, 2012.

HUANG, J.; WANG, S. Knowledge conversion abilities and knowledge creation and innovation: a new perspective on team composition. In: EUROPEAN CONFERENCE ON ORGANIZATIONAL KNOWLEDGE, LEARNING AND CAPABILITIES, 3., 2002, Athens. Atas da III European Conference on Organizational Knowledge, Learning And Capabilities. Athens: Proceedings, 2002. p. 1-18.

KLINE, R. B. Principles and practice of structural equation modeling. 2. ed. New York, Estados Unidos: Guilford Press, 2005.

LEVIN, J. R.; ANGLIN, G. J.; CARNEY, R. N. On Empirically Validating Functions of Pictures in ProseThe Psychology of Illustration, 1987.

LEVIN, D.; CROSS, R. The strength of weak ties you can trust: the mediating role of trust in effective knowledge transfer. Management Science, v. 50, n. 11, p. 1477-1490, 2004.

LICHTENTHALER, U.; ERNEST, H. Developing reputation to overcome the imperfections in the markets for knowledge. Research Policy, v. 36, n. 1, p. 37-55, 2007.

MACEDO, C. A.; RUSSO, S. L. A Propriedade Intelectual na Universidade Federal de Sergipe. Revista EDAPeCI. v. 5, n. 5, p. 147-156, 2010.

MALHOTRA, N. K. Pesquisa de Marketing: uma orientação aplicada. 4. ed. Porto Alegre: Bookman, 2006.

MARCONI, M. A.; LAKATOS, E. M. Metodologia científica. 4. ed. São Paulo: Atlas, 2006.

MARTÍN‐ROJAS, R.; GARCÍA‐MORALES, V. J.; MIHI‐RAMÍREZ, A. How can we increase Spanish technology firms’ performance? Journal of Knowledge Management. v. 15, n. 5, p. 759-778, 2011.

MILLER, D.; FRIESEN, P. Innovation in conservative and entrepreneurial firms: two models of strategic momentum. Strategic Management Journal, v. 3, n. 1, p. 1-25, 1982.

MOTTA, M. E. V. Capacidade de conversão do conhecimento, inovação tecnológica e o desempenho das IES do sul do Brasil. 2013. 142 f. Tese (Doutorado em Administração) – Universidade Caxias do Sul, Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Caxias do Sul-RS, 2013.

NONAKA, I. A dynamic theory of organizational knowledge creation. Organization Science, v. 5, n. 1, p. 14-37, 1994.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. The knowledge creating company. New York: Oxford University Press, 1995.

NONAKA, I.; TAKEUCHI, H. Criação de conhecimento na empresa: como as empresas japonesas geram a dinâmica da inovação. 10. ed. Rio de Janeiro: Campus, 2002.

OLIVEIRA, M. R.; ALMEIDA, J. Programas de pós-graduação interdisciplinares: contexto, contradições e limites do processo de avaliação CAPES. RBPG, Brasília, v. 8, n. 15, p. 37- 57, 2011.

PALACIOS-MARQUES, D.; GARRIGÓS, F. J. The effect of knowledge management practices on firm performance. Journal of Knowledge Management, v. 10, n. 3, p. 143-156, 2006.

POLANYI, M. The tacit dimension. Gloucester: Peter Smith, 1983.

PRAJOGO, D. I.; SOHAL, A. S. The integration of TQM and technology and R&D management in determining organizational performance-an Australian perspective. Omega, v. 34, n. 3, p. 296-312, 2006.

REICHERT, F. M.; CAMBOIM, G. F.; ZAWISLAK, P. A. Capacidades e trajetórias de inovação de empresas brasileiras. Revista de Administração Mackenzie. v. 16, n. 5, p. 161-194, 2015.

REICHERT, F. M.; ZAWISLAK, P. A. Technological capability and firm performance. Journal of Technology Management & Innovation. v. 9, n. 4, 20-35, 2014.

RUSSO, S. L.; FABRIS, J. P.; ZAYAS-CASTRO, J.; CAMARGO, M.E. Linking Past and Future Research about University-Industry Cooperation: a Systematic Review. International Business Management, v. 11, p. 1753-1763, 2017.

STEINER, P. A sociologia econômica. São Paulo: Atlas, 2006.

SUBRAMANIAN, A.; NILAKANTA, S. Organizational innovativeness: exploring the relationship between organizational determinants of innovation, types of innovations and measures of organizational performance. Omega, v. 24, n. 6, p. 631-647, 1996.

TAKIMOTO, T.; CARVALHO, M.A. A relação das comunidades de prática e ambientes virtuais colaborativos no contexto da gestão do conhecimento. In: VANZIN, Tarcísio; DANDOLINI, Gertrudes A. (org.). Mídias do Conhecimento. Florianópolis, SC: Pandion, 2011, p. 77-113.

TEIXEIRA, A. A universidade de ontem e de hoje. Rio de Janeiro: Ed. da UERJ, 1998.

TSAI, W. Knowledge transfer in intraorganizational networks: effects of network position and absorptive capacity on business unit innovation and performance. Academy of Management Journal, v. 44, n. 5, p. 996-1004, 2001.

VELHO, L. O papel da formação de pesquisadores no sistema de inovação. Ciência e cultura, v. 59, n. 4, p. 23–28, 2007.

WANG, H. W.; WU, M. C. Business type, industry value chain, and R&D performance: Evidence from high-tech firms in an emerging market. Technological Forecasting & Social Change, v. 79, n. 2, p. 326-340, 2012.

WILLIAMS, R. Narratives of knowledge and intelligence... beyond the tacit and explicit. Journal of Knowledge Management, London, v. 10, n. 4, p. 81-99, 2006.

ZAHRA, S.; GEORGE, G. Absorptive capacity: a review, reconceptualization, and extension. Academy of Management Review, v. 27, n. 2, p. 185-203, 2002.

ZAIM, H.; EKREM, T.; SELIM, Z. Performance of knowledge management practices: a casual analysis. Journal of Knowledge Management, v. 11, n. 6, p. 54-67, 2007.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2020.v10.p01-17.1159

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.