Política de inserção de servidores com deficiência na universidade: o olhar dos gestores

Evelise Santos Sousa, Carla Cristina Dutra Búrigo

Resumo


Este artigo é um recorte de uma pesquisa maior (SOUSA, 2018) que buscou compreender como se desenvolve, no olhar dos gestores, a política de inserção dos servidores técnico-administrativos em educação, com deficiência, da Universidade Federal de Santa Catarina. A pesquisa caracteriza-se por ser qualitativa, documental e bibliográfica com aplicação de entrevistas semiestruturadas com gestores que possuem servidores com deficiência em suas unidades admitidos até janeiro de 2018. A análise das informações coletadas foi realizada por meio de análise de conteúdo, buscando compreender a visão dos gestores sobre a inserção de servidores com deficiência na Instituição. Ficou evidenciado, por meio dos resultados, que os gestores compreendem e confirmam a efetividade da política de inserção de servidores com deficiência no que tange ao ingresso na Instituição. Porém, apontam para uma inexistência de medidas de acompanhamento desse público durante sua vida funcional, após encerrado o estágio probatório. Uma contradição se evidenciou neste estudo, ao mesmo tempo em que a Instituição é inclusiva observando a legislação vigente de ingresso de servidores com deficiência, ela nega a inserção deste servidor, por falta de uma política institucional inclusiva no desenvolvimento da carreira do servidor. Receber esses profissionais dentro da Instituição e lhes fornecer as ferramentas necessárias para o desenvolvimento de suas atividades deixa de ser apenas uma obrigação legal, passa a ser um cumprimento de responsabilidade dentro da sociedade a qual está inserida. A inclusão social traz consigo a equiparação de oportunidades, em uma Universidade, como Instituição Social.


Palavras-chave


Deficiência. Inclusão. Política Institucional de Inclusão. Política Pública. UFSC.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. Brasília: Senado Federal, 1988.

______. Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989. Dispõe sobre o apoio às pessoas portadoras de deficiência, sua integração social, sobre a Coordenadoria Nacional para Integração da Pessoa Portadora de Deficiência - Corde, institui a tutela jurisdicional de interesses coletivos ou difusos dessas pessoas, disciplina a atuação do Ministério Público, define crimes, e dá outras providências. 1989. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L7853.htm. Acesso em: 28 dez. 2016.

______. Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Dispõe sobre o regime jurídico dos servidores públicos civis da União, das autarquias e das fundações públicas federais. 1990. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L8112cons.htm. Acesso em: 10 dez.

______.Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993. Regulamenta o art. 37, inciso XXI, da Constituição Federal, institui normas para licitações e contratos da Administração Pública e dá outras providências. Diário Oficial [da] República Federativa do Brasil, Brasília, DF, 21 jun. 1993. Disponível em: . Acesso em 25 jun. 2018.

______. Emenda Constitucional nº 19, de 04 de junho de 1998. Modifica o regime e dispõe sobre princípios e normas da Administração Pública, servidores e agentes políticos, controle de despesas e finanças públicas e custeio de atividades a cargo do Distrito Federal, e dá outras providências. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/Constituicao/Emendas/Emc/emc19.htm#art6. Acesso em 02 ago. 2018.

______. Decreto nº 3.298, de 20 de dezembro de 1999. Regulamenta a Lei nº 7.853, de 24 de outubro de 1989, dispõe sobre a Política Nacional para a Integração da Pessoa Portadora de Deficiência, consolida as normas de proteção, e dá outras providências. 1999. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/decreto/d3298.htm. Acesso em: 28 dez. 2016.

______. Lei nº 10.098, de 19 de dezembro de 2000. Estabelece normas gerais e critérios básicos para a promoção da acessibilidade das pessoas portadoras de deficiência ou com mobilidade reduzida, e dá outras providências. 2000. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/leis/L10098.htm. Acesso em: 24 abr. 2017.

BRASIL. Lei nº 13.146, de 06 de julho de 2015. Institui a Lei Brasileira de Inclusão da Pessoa com Deficiência (Estatuto da Pessoa com Deficiência). 2015. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/_ato2015-2018/2015/Lei/L13146.htm. Acesso em: 28 dez. 2016.

BIANCHETTI, Lucídio; SGUISSARDI, Valdemar. Da Universidade à commoditycidade: ou de como e quando, se a educação/formação é sacrificada no altar do mercado, o futuro da universidade se situaria em algum lugar do passado. São Paulo: Mercado de Letras, 2017.

CAPES. Ministério da Educação e Cultura. Portal de Periódicos. 2017. Disponível em: http://www.periodicos.capes.gov.br/. Acesso em: 26 set. 2017.

CARDOSO, Nilton Orany Bonatti. Compromisso social e inclusão de pessoas com deficiência no quadro de pessoal da Universidade Federal de Santa Catarina. 2013. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Administração Universitária, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2013.

CERVO, Amado Luiz; BERVIAN, Pedro Alcino; SILVA, Roberto da. Metodologia Científica. 6. ed. São Paulo: Person Prentice Hall, 2007.

CHAUÍ, Marilena. A universidade sob nova perspectiva. Revista Brasileira de Educação, Rio de Janeiro, n. 24, p. 5-15, 2003.

CHEPTULIN, Alexandre. A dialética materialista: categorias e leis da dialética. São Paulo: Editora Alfa-Ômega, 1982.

CHIZZOTTI, Antônio. Pesquisa qualitativa em ciências humanas e sociais. 3. ed. Petrópolis: Vozes, 2010.

DINIZ, Débora. O que é deficiência. São Paulo: Brasiliense, 2012.

ECO, Umberto. Por que as universidades. 2014. Disponível em: http://marcoanogueira.blogspot.com.br20146umberto-eco-por-que-as-universidades.html. Acesso em: 25 maio 2017.

GIL, Antônio Carlos. Gestão de pessoas: enfoque nos papéis profissionais. São Paulo: Atlas, 2014.

IBGE. Características gerais da população, religião e pessoas com deficiência. Rio de Janeiro: IBGE, 2012. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Censos/Censo_Demografico_2010/Caracteristicas_Gerais_Religiao_Deficiencia/caracteristicas_religiao_deficiencia.pdf. Acesso em: 10 abr. 2017.

KAUARK, Fabiana. Metodologia da pesquisa: guia prático. Itabuna: Via Litterarum, 2010.

MACHADO, Carla Vinícia Campedelli. Inclusão do deficiente no campo de trabalho. 2001. Dissertação (Mestrado) – Programa de Pós-Graduação em Engenharia da Produção, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2001.

MINAYO, Maria Cecília de Souza (Org.). Pesquisa Social: teoria, método e criatividade. 34. ed. Rio de Janeiro: Vozes, 2015.

REIS, Renata Pletsch. Um olhar sobre o processo de desenvolvimento da política de cultura da UFPR Litroral. 2016. Dissertação (Mestrado) - Programa de Pós-Graduação em Administração Universitária, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2016.

SASSAKI, Romeu Kazumi. Construindo uma sociedade inclusiva. Rio de Janeiro: Ed W.V.A, 1997.

SOUSA, Evelise Santos. A Inclusão de Servidores Técnico-administrativos em Educação, com Deficiência: o olhar dos gestores. 2018. 63 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Administração Universitária, Programa de Pós-graduação em Administração Universitária, Universidade Federal de Santa Catarina, Florianópolis, 2018.

TRIVIÑOS, Augusto Nibaldo Silva. Introdução à pesquisa em ciências sociais: a pesquisa qualitativa em educação. São Paulo: Atlas, 2009.

UFSC. Plano de Desenvolvimento Institucional 2015 a 2019. Florianópolis, 2015. Disponível em: http://pdi.ufsc.br/files/2015/05/PDI-2015-2019-1.pdf. Acesso em: 09 jan. 2017.

______. Concursos e processos seletivos. Edital nº. 015/DDP/2016. Pró-Reitoria de Desenvolvimento e Gestão de Pessoas. 2017a. Disponível em: http://concursos.ufsc.br/. Acesso em: 04 abr. 2017.

______. UFSC em números. Departamento de Planejamento e Gestão da Informação. 2017b. Disponível em: http://dpgi.seplan.ufsc.br/ufsc-em-numeros/. Acesso em 06 mar. 2017.

______. Missão. PRODEGESP. 2017c. Disponível em: http://prodegesp.ufsc.br/apresentacao/missao/. Acesso em: 04 abr. 2017.

______. Atribuições. PRODEGESP. 2017d. Disponível em: http://prodegesp.ufsc.br/apresentacao/atribuicoes/. Acesso em: 04 abr. 2017.

______. Membros Equipe. Equipe Multiprofissional de Acompanhamento aos Servidores da UFSC com Deficiência e em Estágio Probatório. 2017e. Disponível em: http://equipepcd.paginas.ufsc.br/membros-equipe/. Acesso em: 20 jan. 2017.

______. Apresentação. Secretaria de Ações Afirmativas e Diversidades. 2017f. Disponível em: http://saad.ufsc.br/apresentacao/. Acesso em: 20 jan. 2017.

VERGARA, Sylvia Constant. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 14. ed. São Paulo: Atlas, 2013.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2019.v9n3.p156-172.850

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.