Gestão do conhecimento no terceiro setor: um diagnóstico de três organizações da sociedade civil

Gabriel Marmentini, Denilson Sell

Resumo


Considerando o conhecimento como ativo principal para qualquer organização – independente do setor, área de atuação e tamanho – a Gestão do Conhecimento (GC) precisa ser melhor explorada em uma população significativa de organizações, as do terceiro setor, que hoje já representam cerca de 820 mil instituições no país. Este artigo visa avaliar a Gestão do Conhecimento em três organizações da sociedade civil (OSCs) por meio de uma abordagem quantitativa e qualitativa. Objetiva-se avaliar instrumento de análise de maturidade da GC aplicado em larga escala no segundo setor e identificar lacunas e as necessidades específicas do terceiro setor para orientar futuros estudos. Tem-se como hipóteses que o instrumento não é adequado à avaliação do terceiro setor e que as OSCs estudadas não devam alcançar níveis altos de maturidade. Ambas hipóteses foram confirmadas.


Palavras-chave


Gestão do Conhecimento. Terceiro setor. Análise de maturidade. Organizações da sociedade civil. Organizações sem fins lucrativos.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


ANDRADE, Sebastião Carlos de Oliveira. Gestão competitiva e lucro social. Rio de Janeiro: IMAH, 2002.

ASIAN PRODUCTIVITY ORGANIZATION. Knowledge management: facilitator´s guide. 2009. Disponível em: http://www.apo-tokyo.org/00e-books/IS-39_APO-KM-FG.htm. Acesso em: 27 nov. 2016.

BRASIL. Código Civil, Lei 10.406, de 10 de janeiro de 2002. São Paulo: Revista dos Tribunais, 2002.

BRASIL. Constituição da República Federativa do Brasil. 1988. Disponível em: https://goo.gl/HwJ1Q. Acesso em: 21 jul. 2017.

CAMARGO, Mariângela Franco de et al. Gestão do terceiro setor no Brasil. São Paulo: Futura, 2001.

CARDOSO, Ruth. Fortalecimento da sociedade civil. In: IOSCHPE, Evelyn Berg (org.). 3º Setor: desenvolvimento social sustentado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1997. p. 7-12.

CHOY, Chong Siong; KUAN YEW, Wong; LIN, Binshan. Criteria for measuring KM performance outcomes in organisations. Industrial Management & Data Systems, v. 106, n. 7, p. 917-936, 2006.

COMITÉ EUROPÉEN DE NORMALISATION. European Guide to good Practice in Knowledge Management -Part 1: Knowledge Management Framework. Belgium: CWA, European Committee For Standardization, 2004.

ECONOMIST INTELLIGENCE UNIT. The Economist Intelligence Unit's Democracy Index. 2017. Disponível em: https://infographics.economist.com/2017/DemocracyIndex/. Acesso em: 18 ago. 2017.

FERNANDES, Rubem César. O que é o terceiro setor. In: IOSCHPE, Evelyn Berg. (org.). 3º Setor: desenvolvimento social sustentado. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2005. p. 25-33.

FISCHER, Rosa Maria; FALCONER, Andrés Pablo. Desafios da parceria governo e terceiro setor. Revista de administração, v. 33, n. 1, p. 12-19, 1998.

GOHN, Maria da Glória. Mídia terceiro setor e MST: impactos sobre o futuro das cidades e do campo. Cadernos de Pesquisa, n. 112, p. 213-213, 2001.

IBGE. Fundações privadas e associações sem fins lucrativos no Brasil. 2010. Disponível em: ftp://ftp.ibge.gov.br/Fundacoes_Privadas_e_Associacoes/2010/fasfil.pdf. Acesso em: 08 ago. 2017.

IPEA. Mapa de OSCs. Brasília: Ipea, 2018. Disponível em: https://mapaosc.ipea.gov.br/. Acesso em: 21 ago. 2017.

MADEIRA, Felícia Reicher; BIANCARDI, Miriam Ribeiro. O desafio das estatísticas do terceiro setor. São Paulo em Perspectiva, v. 17, n. 3-4, p. 177-184, 2003.

SALAMON, Lester M.; ANHEIER, Helmut K. The third world's third sector in comparative perspective. Baltimore: Johns Hopkins University; Institute for Policy Studies, 1997.

MORESI, Eduardo Amadeu Dutra. Delineando o valor do sistema de informação de uma organização. Ciência da Informação, Brasília, v. 29, n. 1, p. 14-24, 2000.

NONAKA, Ikujiro; TAKEUCHI, Hirotaka. Criação do Conhecimento na Empresa: como as empresas geram a dinâmica da inovação. Rio de Janeiro: Campus,1997

ONU. Handbook on Non-Profit Institutions in the System of National Accounts. 2003. Disponível em: https://goo.gl/UPcQ71. Acesso em: 12 ago. 2017.

STAIR, Ralph. M. Princípios de sistemas de informação: uma abordagem gerencial. Rio de Janeiro: LTC-Livros Técnicos e Científicos, 1998.

TENÓRIO, Fernando G. Gestão de ONGs: principais funções gerenciais. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2001.

TOZZI, José Alberto. S.O.S da ONG: guia de gestão para organizações do Terceiro Setor, São Paulo: Gente, 2015.

VENZIN, Markus; VON KROGH, Georg; ROOS, Johan. Future research into knowledge management. In: VON KROGH, Markus et al. (org.). Knowing in firms: Understanding, managing and measuring knowledge, 1998. p. 26-66.

VESTAL, Wesley. Measuring knowledge management. USA: American Productivity & Quality Center, 2002.

ZAYAS, Emilio López-Barajas. O paradigma da educação continuada. Porto Alegre: Penso Editora, 2009.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2019.v9n3.p20-40.789

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.