Diagnosis of innovative organizations: a study in the Center of the Industries of the State of São Paulo

Marcos Augusto de Vasconcellos, Luiz Carlos Di Serio, José Carlos Barbieri

Resumo


O artigo tem como objetivo realizar um diagnóstico das competências das organizações inovadoras no Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP). Trata-se de um estudo quantitativo, de caráter descritivo. O método de pesquisa adotado foi o survey, sendo aplicado questionário estruturado em 62 empresas filiadas ao CIESP. Os dados foram analisados com auxílio do software Excel. Foi utilizada estatística descritiva. Como resultados, as empresas demonstram boa gestão das competências liderança e intenção estratégica, meio inovador e pessoas, mas possuem pontuações um pouco mais baixas quando se trata do processo de inovação e resultados.


Palavras-chave


Inovação. Competências. Organizações Inovadoras.

Texto completo:

PDF (English) Html (English)

Referências


ÁLVARES, A. C. T. The 3M way to innovation: balancing people and profit. Revista de Administração de Empresas, v. 41, n. 3, p. 94-95, 2001.

ANDERSON, N.; POTOČNIK, K.; ZHOU, J. Innovation and creativity in organizations a state-of-the-science review, prospective commentary, and guiding framework. Journal of Management, v. 40, n. 5, p. 1297-1333, 2014.

BABBIE, E. Métodos de pesquisas de survey. Belo Horizonte: Editora UFMG, 2001.

BARBIERI, J. C.; ÁLVARES, A. C. T. Meio inovador empresarial: conceitos, modelos e casos. Revista IMES Administração, v. 56, p. 34-43, set./dez, 2002.

BARBIERI, J. C. Organizações inovadoras: estudos e casos brasileiros. Rio de Janeiro: Editora da FGV, 2003.

CHRISTENSEN, C. M. The innovator’s dilemma: When New Technologies Cause Great Firms to Fail. Boston: Harvard Business School Press, 1997.

CROSSAN, M. M.; APAYDIN, M. A multi‐dimensional framework of organizational innovation: A systematic review of the literature. Journal of Management Studies, v. 47, n. 6, p. 1154-1191, 2009.

FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS INNOVATION FORUM. Caderno 14. [2014]. Disponível em: . Acesso em: 2 mar. 2018.

GEORGE, G.; MCGAHAN, A. M.; PRABHU, J. Innovation for inclusive growth: Towards a theoretical framework and a research agenda. Journal of Management Studies, v. 49, n. 4, p. 661-683, 2012.

HAMEL, G.; PRAHALAD, C. K. Competing for the Future. Boston: Harvard Business School Press, 1994.

HALL, J.; BACHOR, V.; MATOS, S. The impact of stakeholder heterogeneity on risk perceptions in technological innovation. Technovation, v. 34, n. 8, p. 410-419, 2014.

HEAVEY, C.; SIMSEK, Z. Top management compositional effects on corporate entrepreneurship: The moderating role of perceived technological uncertainty. Journal of Product Innovation Management, v. 30, n. 5, p. 837-855, 2013.

HERLEY, R. F.; HULT, G. Tomas M. Innovation, Market Orientation, and Organizational Learning: An Integration and Empirical Examination. Journal of Marketing, v. 62, p. 42-54, 1998.

JOHNSON, M. W.; CHRISTENSEN, C. M.; KAGERMANN, H. Reinventing your business model. Harvard Business Review, v. 86, n. 12, p. 57-68, 2008.

LAWSON, B.; SAMSON, D. Developing Innovation Capability in Organizations: a Dynamic Capabilities Approach. International Journal of Innovation Management, v. 18, n. 3, p. 377-400, 2001.

MARKIDES, C. Strategic innovation. Sloan Management Review, v. 38, p. 9-24, 1997.

OLIVEIRA, S. M.; ALVES, J. L. Influência das práticas de inovação aberta na prospecção de conhecimentos para a criação de valor em ambientes de alta complexidade sob condições de incerteza e imprevisibilidade. Revista de Administração e Inovação, v. 11, n. 1, p. 295-318, 2014.

QUANDT, C. O. et al. Programas de gestão de ideias e inovação: as práticas das grandes empresas na região sul do Brasil. Revista de Administração e Inovação, v. 11, n. 3, p. 176-199, 2014.

RAMOS, A.; ZILBER, S. N. O impacto do investimento na capacidade inovadora da empresa. Revista de Administração e Inovação, v. 12, n. 1, p. 303-325, 2015.

ROBERTSON, P. L.; CASALI, G. L.; JACOBSON, D. Managing open incremental process innovation: absorptive capacity and distributed learning. Research Policy, v. 41, n. 5, p. 822-832, 2012.

SAUNDERS, M.; LEWIS, P.; THORNILL, A. Research Methods for Business Students. 2. ed. Harlow, England: Pearson Education, 2007.

SCHUMPETER, J. A Teoria do Desenvolvimento Econômico: uma investigação sobre lucros, capital, crédito, juro e o ciclo Econômico. São Paulo: Ed. Abril S.A. Cultural e Industrial, 1982.

SMITH, M. et al. Factors influencing an organisation's ability to manage innovation: a structured literature review and conceptual model. International Journal of Innovation Management, v. 12, n. 4, p. 655-676, 2008.

TANG, H. K. An Integrative model of innovation in Organizations. Technovation, v. 18, n. 5, p. 297-309, 1998.

TEECE, D. J.; PISANO, G.; SHUEN, A. Dynamic capabilities and strategic management. Strategic Management Journal, v. 18, n. 7, p. 509-533, 1997.

TIDD, J.; BESSANT, J.; PAVITT, K. Gestão da inovação. 3. ed. Porto Alegre: Bookman, 2008.

VASCONCELLOS, M. A. Excelência e Humanização da Produção. 1997. Monografia (Obtenção do nível de professor titular) – Fundação Getúlio Vargas – Escola de Administração de Empresas de São Paulo, São Paulo, 1997.

ZACHER, H.; ROSING, K. Ambidextrous leadership and team innovation. Leadership & Organization Development Journal, v. 36, n. 1, p. 54-68, 2015.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2018.v8n2.p08-16.610

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.