As potencialidades turísticas do roteiro Caminhos da Fronteira

Emerson Luiz Pereira, Ademir José Zimmermann

Resumo


A temática desse artigo versa sobre as potencialidades turísticas do roteiro “Caminhos da Fronteira” por meio de um cluster turístico. Na introdução destacamos as regiões turísticas do estado de Santa Catarina, a seguir são conceituados os termos turismo, turista e cluster. O estudo abrange os municípios integrantes da região turística Caminhos da Fronteira, incluindo o município de Mondaí, que integra a Associação de Municípios do Extremo Oeste de Santa Catarina, que constitui uma das fontes de estudo. Diante das fragilidades encontradas ao longo dos caminhos da fronteira, torna-se de extrema importância que se busquem alternativas para alavancar o turismo na região dos Caminhos da Fronteira. Investimentos na conservação das rodovias da região, visto que a mesma região é corredor de passagem para muitos viajantes entre o sul do país e o estado do Mato Grosso do Sul e entre Argentina e o litoral catarinense. Belezas naturais aqui existem, mas ainda são pouco exploradas. É preciso disseminar a cultura do turismo na região, principalmente, o turismo rural, de aventura e lazer. Além de alternativas de turismo, entidades e organizações de apoio também são necessárias para dar suporte aos turistas que aqui venham desfrutar de lazer, como bancos, postos de saúde e hospitais, farmácias, restaurantes entre outros.


Palavras-chave


Roteiro. Cluster. Turismo

Texto completo:

PDF

Referências


AGÊNCIA DE DESENVOLVIMENTO DO EXTREMO OESTE DE SANTA CATARINA (ADEOSC). [2004]. Disponível em: . Acesso em: 01 nov. 2016.

ASSOCIAÇÃO DE MUNICÍPIOS DO EXTREMO OESTE DE SANTA CATARINA (AMEOSC). [2014]. Disponível em: . Acesso em: 10 jan. 2015.

ARTAVIA, Roberto. Dinámica de los “clusters”: una nueva inquietud de los gerentes. 2000. Disponível em: . Acesso em: 01 nov. 2016.

BENI, Mario Carlos.Turismo: interfaces, desafios e incertezas. Caxias do Sul: EDUCS, 2001.

BOULLÓN. R. Planejamento do Espaço Turístico. São Paulo: EDUSC, 2002.

COHEN, Erik. Who is a tourist? A conceptual clarification. The Sociological Review, v. 22 n. 4, p. 527-555, 1974.

PADILLA, Óscar de La Torre. El Turismo: fenómeno social. 2. ed. México: Fondo de Cultura Económica, 1997.

PEARCE, Douglas. Geografia do Turismo: fluxos e regiões no mercado de viagens. São Paulo: Aleph, 2003.

PETROCCHI, Mario. Turismo: planejamento e gestão. 2. ed. São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

PORTER, Michael. Clusters e competitividade. HSM Management, São Paulo, p. 100-110, jun./ago. 1999.

RAMOS, Ricardo Gomes; LOPES, Wilza Gomes Reis. Proposta Metodológica de Avaliação Qualitativa de Corredores Turísticos: considerações sobre o trecho da rodovia BR 343 entre Teresina e o litoral do Piauí, Brasil. Caderno Virtual de Turismo, Rio de Janeiro, v. 13, n. 1, p. 67-84, abr. 2013.

REJOWSKI, M. Turismo no Percurso do Tempo. 2. ed. São Paulo: Aleph, 2002.

SANTA CATARINA TURISMO S/A (SANTUR). Mapa Ilustrativo de Santa Catarina. [2015]. Disponível em: . Acesso em: 27 out. 2016.

SANTA CATARINA TURISMO S/A (SANTUR). Destinos. Disponível em: http://turismo.sc.gov.br/destinos/. Acesso em: 27 out. 2016.

SPADA, Anaize et al. Revisão Sobre Cluster Turístico com Foco no Destino Indutor Porto Alegre. In: Seminário de Pesquisa em Turismo do Mercosul, 7., 2012, Caxias do Sul. Anais... Caxias do Sul: UCS, 2012. p. 1-11.

SOUZA, Antonio Carlos de; FIALHO, Francisco Antonio Pereira; OTANI, Nilo. TCC: métodos e técnicas. Florianópolis: Visual Books, 2007.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2016.v6n5.p141-150.444

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.