Desenvolvimento de tecnologias e negócios em um Programa de incentivo à inovação

Luciana Paula Reis, Carlos Eduardo Guerra Silva, Reynaldo Maia Muniz, June Marques Fernandes

Resumo


O artigo analisa o desenvolvimento de tecnologias em ambiente acadêmico e a consubstanciação dessas em negócios tecnológicos, considerando-se os níveis micro, meso e macro organizacionais. Por meio da análise de conteúdo de relatórios do Programa de Incentivo à Inovação (PII), observou-se no nível micro, o foco difuso de alguns pesquisadores, que oscilam entre empreender e licenciar a tecnologia. No nível meso, foram observados os agentes que compõem o campo da inovação tecnológica, cada qual desempenhando funções específicas. Entre clientes, concorrentes, parceiros e fornecedores, os spinoffs acadêmicos operam sob regras de agências reguladoras, bem como apresentam considerável dependência financeira de agências de pesquisa e programas governamentais. No nível macro, foi constatado que disposições legais, econômicas, tecnológicas, sustentáveis e culturais da ambiência se constituem em referências que orientam a atuação dos diversos agentes de inovação. Os resultados deste estudo contribuem para a formulação e avaliação de políticas públicas e programas, bem como para a reflexão sobre práticas acadêmico-empresariais visando a inovação e desenvolvimento de tecnologias.


Palavras-chave


Inovação. Tecnologia. Empresa de Base Tecnológica. Licenciamento.

Texto completo:

PDF

Referências


AMADEI, J.; TORKOMIAN, A. As patentes nas universidades: análise dos depósitos das universidades públicas paulistas. Ciência da Informação, v. 38, n. 2, p. 9-18, 2009.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. Lisboa: Edições 70, 1977.

BRASIL. Lei n. 9.279, de 14 de maio de 1996. [1996]. Regula a propriedade industrial. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2010.

BRASIL. Lei n. 10.406, de 10 de janeiro de 2002. [2002]. Institui o Código Civil brasileiro. Disponível em: . Acesso em: 3 out. 2010.

BRASIL. Lei n. 10.973, de 2 de dezembro de 2004. [2004]. Dispõe sobre incentivos à inovação e à pesquisa científica e tecnológica no ambiente produtivo e dá outras providências. Disponível em: . Acesso em: 11 out. 2010.

CGEE - CENTRO DE GESTÃO E ESTUDOS ESTRATÉGICOS. Mestres e doutores 2015: estudos da demografia da base técnico-científica brasileira. Brasília: Centro de Gestão e Estudos Estratégicos, 2016.

CHENG, L.C.; DRUMMOND, P.; MATTOS, P. A integração do trinômio tecnologia, produto e mercado na pré- incubação de uma empresa de base tecnológica. In: Conferência Internacional de Pesquisa em Empreendedorismo na América Latina, 3., 2004, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: CIPEAL, 2004.

CONDE, Y. C.; SANTOS, M. E. R. Oficinas de transferencia de tecnologia: un analisis comparativo entre las experiencias de una universidad española y outra brasileña. In: Seminario Latino-Iberoamericano de Gestión Tecnológica, 8., 1999. Anais... Valencia: ALTEC, 1999.

CUNHA, N. C. V. Mecanismos de interação universidade-empresa e seus agentes: o gatekeeper e o agente universitário de interação. REAd. Revista Eletrônica de Administração, v. 5, p. 1-23, 1999.

DJOKOVIC, D.; SOUITARIS, V. Spinouts from academic institutions: a literatura review with suggestions for further research. Technology Transfer, v. 33, p. 225-247, 2008.

FAVA-DE-MORAES, F. Universidade, inovação e impacto socioeconômico. São Paulo em Perspectiva, v. 14, n. 3, p. 8-11, 2000.

FRANKLIN, S.; WRIGHT, M.; LOCKETT, A. academic and surrogate entrepreneurs in university spinoff companies. Journal of Technology Transfer, v. 26, n. 1-2, p. 127-141, 2001.

GALLON, A. V.; REINA, D. R. M.; ENSSLIN, S. R. O impacto do financiamento da inovação promovido pelo programa juro zero da finep no desempenho econômico-financeiro das MPEIS catarinenses. In: Encontro anual aa Associação Nacional de Pós-Graduação em Administração, 34., 2010, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2010.

GONÇALVES, C. A.; PAIVA Jr., F. G. Competitividade e inovação influenciando o crescimento empresarial: a perspectiva dos empreendedores de empresas de base tecnológica. RPA Brasil, v. 2, p. 55-62, 2006.

HAGE, J.; HOLLINGSWORTH, J. A strategy for the analysis of idea innovation networks and institutions. Organization Studies, v. 21, n. 5, p. 971-1004, 2000.

INPI – INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Universidades Brasileiras: Utilização do Sistema de Patentes de 2000 a 2004. Brasília: IBGE, 2007.

INPI – INSTITUTO NACIONAL DA PROPRIEDADE INDUSTRIAL. Principais Titulares de Pedidos de Patente no Brasil: Período de 2004 a 2008. Brasília: INPI, 2011.

JENSEN, M. C.; MECKLING, W. H. The theory of the firm: managerial behavior, agency costs, and capital structure. Journal of Financial Economics, v. 3, n. 4, p. 305-360, 1976.

LEONEL, S, G. et al. Uma forma de agregar a voz dos clientes nas etapas iniciais de criação de uma empresa de base tecnológica (EBT) de origem acadêmica. In: Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, 24., 2006, Gramado. Anais... Gramado: ANPAD, 2006.

LOBOSCO, A.; MORAES, M. B.; MACCARI, E. A. Uma análise do papel da agência USP de inovação na geração de propriedade intelectual e nos depósitos de patentes da Universidade de São Paulo. In: Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação em Administração, 34., 2010, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2010.

NDONZUAU, F. N.; PIRNAY, F.; SURLEMONT, B. A stage model of academic spin-off creation. Technovation, v. 22, p. 281-289, 2002.

O’SHEA, R. P.; CHUGH, H.; ALLEN, T. Determinants and consequences of university spinoff activity: a conceptual framework. Technology Transfer, v. 33, p. 653-666, 2008.

PACAGNELLA JR., A. C.; PORTO, G. S.; KANNEBLEY JR., S. A inovação tecnológica nas indústrias do estado de São Paulo: uma análise a partir dos dados da PAEP. In: Encontro Anual da Associação Nacional de Pós-Graduação em Administração, 30., 2006, Salvador. Anais... Salvador: ANPAD, 2006.

PEREIRA, L. B.; MUNIZ, R. M. Obstáculos à inovação: um estudo sobre a geração de spin-offs universitárias na realidade brasileira. In: Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, 24., 2006, Gramado. Anais... Gramado: ANPAD, 2006.

PROGRAMA de incentivo à inovação. Relatório final da segunda fase do PII na UFLA. Lavras: NTQI, 2008.

PROGRAMA de incentivo à inovação. Relatório final da segunda fase do PII na UFJF. Juiz de Fora: NTQI, 2009.

PROGRAMA de incentivo à inovação. Relatório final da segunda fase do PII na UFMG. Belo Horizonte: NTQI, 2010.

RASMUSSEN, E.; BORCH, O. J. University capabilities in facilitating entrepreneurship: A longitudinal study of spin-off ventures at mid-range universities. Research Policy, v. 39, p. 602–612, 2010.

REIS, L. P. et al. Revelando as fases do planejamento tecnológico no contexto da gestão de desenvolvimento de produtos em empresas iniciantes de base tecnológica. In: Seminário Nacional de Parques Tecnológicos e Incubadoras de Empresas, 16., 2006, Salvador. Anais... Salvador: ANPROTEC, 2006.

REIS, L. P. et al. Proposição de um modelo para o gerenciamento de informações no planejamento tecnológico aplicado a um spinoff do setor de biotecnologia. In: Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, 31., 2007, Rio de Janeiro. Anais... Rio de Janeiro: ANPAD, 2007.

ROBERTS, E.; MALONE, D. E. Policies and structures for spinning off new companies from research and development organizations. R&D Management, v. 26, p. 17–48, 1996.

ROBERTS, E. B. Entrepreneurs in high technology: lessons from MIT and beyond. New York: Oxford University Press, 1991.

ROGERS, E.M.; TAKEGAMI, S.; YIN, J. Lesson learned about technology transfer. Technovation, v. 21, p. 253-261, 2001.

RUTHES, S. et al. Inovação tecnológica: um estudo comparativo com os dados da PINTEC. In: Simpósio de Gestão da Inovação Tecnológica, 24., 2006, Gramado. Anais... Gramado: ANPAD, 2006.

SERRA, F. A. R. et al. A inovação numa empresa de base tecnológica: o caso da Nexxera. Journal of Technology Management and Innovation, v. 3, p. 129-141, 2008.

SHANE, S. Academic entrepreneurship, university spinoffs and wealth creation. Cheltenhan, UK: Edward Elgar Publishing, 2004.

SIEGEL, D. S. et al. Toward a model of the effective transfer of scientific knowledge from academicians to practitioners: qualitative evidence from the commercialization of university tecnologies. Journal Engineering and Technology Management, v. 21, p. 115-142, 2004.

SILVA, S. E.; REIS, L. P. O processo de estruturação de recursos no contexto de uma Empresa de Base Tecnológica de Origem Acadêmica (EBTA). Revista de Administração e Inovação, São Paulo, v. 12, n. 2, p. 153-179, 2015.

TONELLI, D. F.; OLIVEIRA, V. A. R. Os líderes de grupos de pesquisa de uma universidade brasileira legitimam a sua política institucional de inovação? GEPROS – Gestão da Produção, Operações e Sistemas, v. 5, p. 39-51, 2007.

VERGARA, S. C. Projetos e relatórios de pesquisa em administração. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2005.

WILLIAMSON, O. E. The theory of the firm as governance structure: from choice to contract. Journal of Economic Prospectives, v. 16, n. 3, p. 171–195, 2002.

WRIGHT, M. et al. Midrange universities linkages with industry: knowledge types and the role of intermediaries. Research Policy, v. 37, p. 1205-1223, 2008.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2016.v6n4.p108-121.429

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.