Processo de Enfermagem Apoiado por Sistema Especialista na Aplicação das Escalas de Glasgow e Braden em um Hospital Público Brasileiro

Edquel Bueno Prado Farias, Dacyr Dante de Oliveira Gatto, Marcio Romero, Maria Luiza Almeida de Oliveira Moura, Renato José Sassi

Resumo


O processo de enfermagem padroniza a forma de atender e diagnosticar o paciente e, durante sua execução, escalas de apoio são utilizadas, como a de Glasgow e de Braden, que visam agregar parâmetros na decisão clínica. Para apoiar a aplicação correta dessas escalas, é possível utilizar técnicas da Inteligência Artificial (IA), como os Sistemas Especialistas (SE). O hospital público, objeto de estudo deste trabalho, não apresentava o processo de enfermagem informatizado e nem um SE. Desta forma, informatizou-se o processo, e um SE foi usado para auxiliar na aplicação das escalas. O objetivo deste trabalho, então, foi apresentar a implementação, em hospital público, do processo de enfermagem apoiado por SE na aplicação das escalas de Braden e Glasgow. A metodologia de pesquisa adotada foi bibliográfica, aplicada e experimental. O processo de coleta e validação dos dados desse estudo foi obtido a partir de entrevista dos enfermeiros envolvidos no processo e na validação e aprovação da base de conhecimento do SE pelos especialistas, tanto do hospital quanto dos contratados para consultoria externa. Com a aplicação do processo de enfermagem informatizado, padronizou-se o atendimento hospitalar, normalizando os processos relativos à enfermagem e, assim garantindo assertividade do enfermeiro no processo de tomada de decisão. Conclui-se que a implementação do processo de enfermagem informatizado apoiado pelo SE apoiou a tomada de decisão no hospital.


Palavras-chave


Processo de Enfermagem Informatizado; Sistemas Especialistas; Escala de Glasgow; Escala de Braden.

Texto completo:

PDF (English) HTML (English)

Referências


ALFARO-LEFEVRE, Rosalinda. Aplicação do Processo de Enfermagem: Fundamentos para o raciocínio clínico. 8. ed. Porto Alegre: Artmed, 2014.

BUTCHER, Howard K. et al. Nursing Interventions classification (NIC)-E-Book. USA: Elsevier Health Sciences, 2018.

COFEN. Resolução COFEN-358 de 15 de outubro de 2009. Dispõe sobre a sistematização da assistência de enfermagem e a implementação do processo de enfermagem em ambientes, públicos ou privados, em que ocorre o cuidado profissional de enfermagem. [2009]. Available in: http://www.cofen. gov.br/resoluo-cofen-3582009_4384.html. Access at: 18 out. 2020.

DA SILVA REIS, Geísa et al. Sistematização da assistência de enfermagem: vantagens e dificuldades na implantação/Systematization of nursing care: advantages and difficulties in implementation. Arquivos Médicos dos Hospitais e da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo, v. 61, n. 3, p. 128-132, 2016.

DOMINGOS, Camila Santana et al. A aplicação do processo de enfermagem informatizado: revisão integrativa. Enfermería Global, v. 16, n. 4, p. 603-652, 2017.

DRABLE, Rosana Gama; MOL, Antonio Carlos de Abreu; LEGEY, Ana Paula. Avaliação do uso da lógica nebulosa para previsão de risco de Papiloma Vírus Humano. RECIIS – Rev. Eletron. de Comun. Inf. Inov. Saúde, v. 8, n. 3, p. 344-358, 2014.

DYMOVA, Ludmila; SEVASTJANOV, Pavel; KACZMAREK, Krzysztof. A Forex trading expert system based on a new approach to the rule-base evidential reasoning. Expert Systems with Applications, n. 51, p. 1–13, 2016. DOI doi.org/10.1016/j.eswa.2015.12.028.

ESFANDIARI, Nura; BABAVALIAN, Mohammad Reza; MOGHADAM, Amir-Masoud Eftekhari; TABAR, Vahid Kashani. Knowledge discovery in medicine: Current issue and future trend. Expert Systems with Applications, v. 41, n. 9, p. 4434-4463, 2014.

GARCIA, Telma Ribeiro et al. Classificação Internacional para a Prática de Enfermagem CIPE (R): Versão 2019/2020. Porto Alegre: Artmed Editora, 2020.

GIL, Antonio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. . ed. São Paulo: Atlas, 2002.

GOMES, Flávia Sampaio Latini; BASTOS, Marisa Antonini Ribeiro; MATOZINHOS, Fernanda Penido; TEMPONI, Harieti Rotelli; VELÁSQUEZ-MELÉNDEZ, Gustavo. Avaliação de risco para úlcera por pressão em pacientes críticos. Revista da Escola de Enfermagem da USP, v. 45, n. 2, p. 313-318, 2011.

GUPTA, Swati; SINGHAL, Ritika. Fundamentals and characteristics of an expert system. International Journal on Recent and Innovation Trends in Computing and Communication, v. 1, n. 3, p. 110-113, 2013.

HAIKAL, Ludmila. Prevenção da dengue utilizando o sistema especialista para big data hadoop. Revista Academus, v. 5, n. 1, 2017.

HORTA, Wanda. Processo de Enfermagem. Rio de Janeiro: Guanabara Koogan, 2011.

KIM, Eun Jung et al. Analysis of the Contents and Importance of Clinical Practicum Education in Adult Health Nursing According to Nursing Intervention Classification (NIC) System. Health Communication, v. 13, n. 2, p. 205-216, 2018.

LIA, Laboratório de Inteligência Artificial (1999). Expert SINTA: uma ferramenta para criação de sistemas especialistas. Fortaleza: Universidade Federal do Ceará, 1999. Available in: www.lia.ufc.br. Access at: 18 out. 2020.

LUCENA, Amália de Fátima et al. Validation of Nursing Outcomes and Interventions to Older Adults Care with Risk or Frail Elderly Syndrome: Proposal of Linkages Among NOC, NIC, and NANDA-I to clinical practice. International journal of nursing knowledge, v. 30, n. 3, p. 147-153, 2018.

MAGOC, Tanja; MAGOC, Dejan. Neural network to identify individuals at health risk. International Journal of Artificial Intelligence & Applications, v. 2, n. 2, p. 104-114, 2011. DOI 10.5121/ijaia.2011.2208.

MILLER, Anne; MOON, Brian; ANDERS, Shilo; WALDEN, Rachel; BROWN, Steven; MONTELLA, Diane. Integrating computerized clinical decision support systems into clinical work: A meta-synthesis of qualitative. International Journal of Medical Informatics, v. 84, n. 12, p. 1009-1018, 2015.

MOORHEAD, Sue; JOHNSON, Marion; MAAS, Meridean; SWANSON, Elizabeth. NOC Classificação dos Resultados de Enfermagem. 5. ed. Rio de Janeiro: Elsevier, 2015.

NASER, Samy Abu; ALHABBASH, Mohammed Male Infertility Expert System Diagnoses and Treatment. American Journal of Innovative Research and Applied Sciences, v. 2, n. 4, 2016.

NIKITAEV, V. G. et al. Expert System for Histological Diagnosis of Prostate Cancer. KnE Energy, p. 328–332-328–332, 2018.

OLIVEIRA, Raisa Leocadio; DIAS, Samya Raquel Soares; DE SOUSA, Jairo Edielson Rodrigues B. Use of scales in the assessment of pressure injury in critical patients/Utilização de escalas na avaliação de lesões por pressão em pacientes críticos/Utilización de escalas en la evaluación de lesiones por presión en pacientes. Revista de Enfermagem da UFPI, v. 7, n. 3, p. 54-60, 2018.

PANNU, Avneet. Survey on expert system and its research areas. International Journal of Engineering and Innovative Technology (IJEIT), v. 4, n. 10, p. 104-108, 2015.

PALOMARES, Mariana Laura Esteves; MARQUES, Isaac Rosa. Contribuições dos sistemas computacionais na implantação da sistematização da assistência de enfermagem. Journal of Health Informatics, v. 2, n. 3, p. 78-82, 2010.

PEEK, Niels; COMBI, Carlo; MARIN, Roque; BELLAZZI, Riccardo. Thirty years of artificial intelligence in medicine (AIME) conferences: A review of research themes. Artificial Intelligence in Medicine, n. 65, p. 61-73, 2015. DOI 10.1016/j.artmed.2015.07.003

PEREIRA, M. A.; SCHAEFER, M. B.; MARQUES, J. L. B. Remote expert system of support the prostate cancer diagnosis. In: ENGINEERING IN MEDICINE AND BIOLOGY SOCIETY, 26.; ANNUAL INTERNATIONAL CONFERENCE OF THE IEEE, 2., 2004, San Francisco, CA, USA. Proceedings […]. San Francisco: IEEE, 2004. p. 3412-3415.

PEREIRA, Mariane Onofre; LUDVICH, Sabrina Cardoso; OMIZZOLO, Jaqueline Aparecida Erig. Segurança do paciente: prevenção de úlcera por pressão em unidade de terapia intensiva. Inova Saúde, v. 5, n. 2, p. 29-44, 2016.

RAMOS, Júnia Helena Furini; RODRIGUES, Rosangela da Costa; GONZAGA, Márcia Féldreman Nunes. Origem e importância da Sistematização da Assistência de Enfermagem (SAE). Revista Saúde em Foco, n. 10, p. 923-936, 2018 .

RITROVATO, Matteo; FAGGIANO, Francesco; TEDESCO, Giorgia; DERRICO, Pietro. Decision-oriented health technology assessment: One step forward in supporting the decision-making process in hospitals. Value in Health, v. 18, n. 4, p. 505-511, 2015.

SHORTLIFFE, Edward Hance. Computer-based medical consultations: MYCIN. 2. ed. New York: Elsevier, 2012.

SHORTLIFFE, Edward H. Artificial intelligence in medicine: weighing the accomplishments, hype, and promise. Yearbook of medical informatics, v. 28, n. 1, p. 257, 2019.

SOUZA, Ademar Rosa de. Estudo comparativo avaliando três modalidades de diagnóstico médico: parecer médico, buscas no Google e sistema especialista de apoio à decisão médica. 2020. 99 f. Tese (Doutorado em Fisiopatologia em Clínica Médica) - Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho, São Paulo.

SURABENJAWONG, Usapan; SONMEETHONG, Weeraphon; NAKORNCHAI, Tanyaporn. Accuracy of Glasgow Coma Score and FOUR score: a prospective study in stroke patients at Siriraj hospital. J. Med. Assoc. Thail, v. 100, n. 9, 2017.

TEASDALE, Graham.; JENNETT, Bryan. Assessment of coma and impaired consciousness: a practical scale. The Lancet, v. 304, n. 7872, p. 81-84, 1974.

TEASDALE, G. M.; MURRAY, L. Revisiting the Glasgow coma scale and coma score. Intensive Care Med, v. 26, p. 153- 154, 2000. DOI 10.1007/s001340050037.

WAGNER, William. P. Trends in Expert System Development: A Longitudinal Content Analysis of Over Thirty Years of Expert System Case Studies. Expert Systems With Applications, n. 76, p. 85-96, 2017. DOI 10.1016/j.eswa.2017.01.028.

WEISS, S. M.; KULIKOWSKI, C. A. Guia prático para projetar sistemas especialistas. Rio de Janeiro: LTC – Livros Técnicos e Científicos S.A, 1988.

WECHI, Jeane Silvestri et al. Escala de Braden: instrumento norteador para a prevenção de úlceras por pressão. Estima–Brazilian Journal of Enterostomal Therapy, v. 15, n. 3, p. 145-151, 2017.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2021.v11.p01-16.1397

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.