Custos para servir: um estudo em uma indústria de etiquetas personalizadas

Maria Júlia Bitencourt Colombo, Januário José Monteiro, Andreia Cittadin

Resumo


A pesquisa teve por objetivo evidenciar o resultado dos principais clientes de uma indústria de etiquetas personalizadas com a aplicação dos custos para servir. A partir de uma abordagem qualitativa e descritiva foi realizada um estudo de caso. Os dados foram obtidos mediante entrevista e análise documental. Os resultados apontaram que o processo produtivo da empresa contempla quatro grupos de atividades, que foram categorizadas em Administrativo, Comercial, Desenvolvimento e Produção. As atividades Comercial e Produção consumiram mais recursos indiretos no período, em torno de 53% e 22%, respectivamente. Os custos mais representativos foram salários e encargos, Pró-labore e comissões, que perfizeram 70% dos custos indiretos totais. A lucratividade global da empresa representou 7,56%, porém os clientes B e C apresentaram prejuízo de 10% no período analisado, principalmente devido aos elevados custos indiretos nas atividades Comercial e Desenvolvimento. Conclui-se que a aplicação da técnica custos para servir revela diversas informações para a gestão dos negócios, mas requer uma série de controles que exigem mudança de cultura e capacitação dos indivíduos envolvidos com o gerenciamento de custos.  Estas evidências enfatizam a importância do gerenciamento de custos, em organizações que adotam o sistema de custeio por ordem.


Palavras-chave


Gestão Estratégica de Custos. Custo para servir. Indústria de etiquetas.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


Atkinson, A. A., Kaplan, R. S., Matsumura, E. M., & Young, S. M. (2015). Contabilidade Gerencial: informação para tomada de decisão e execução da estratégia. São Paulo: Atlas.

Becker, M., Monteiro, J. J., Castanha, E. T., & Cittadin, A. (2020). Custos no cultivo do tabaco: um estudo em uma pequena propriedade rural do sul catarinense. Navus-Revista de Gestão e Tecnologia, 10, 01-16.

Blocher, E. J., Stout, D. E., & Cokins, G. (2010). Cost management: A strategic emphasis. Includes index. New York: McGraw Hill.

Braithwaite, A.; Samakh, E. (1998). The cost-to-serve method. International Journal of Logistics Management, 9(1), 69-84.

Campbell, D., & Frei, F. (2010). Cost structure, customer profitability, and retention implications of self-service distribution channels: Evidence from customer behavior in an online banking channel. Management Science, 56(1), 4-24.

Cokins, G. (2006). Measuring customer value: how BPM supports better marketing decisions. Business Performance management magazine, 4(1), 13-18.

Cooper, R.; Kaplan, R. S. (1991). The design of cost management systems: text, cases, and readings. Prentice Hall.

Cunha, P. M., Castanha, E. T., Monteiro, J. J., Vieira, A. C. P., & Cittadin, A. (2018). O Uso do Custeio Variável para Gestão de uma Vinícola de Santa Catarina, Brasil. ABCustos, 13(2).

Faria, A. C., Borinelli, M. L., & Mantovani, N. (2010). Análises multidimensionais e o conceito do custo para servir em empresas de serviços logísticos: Uma pesquisa-ação. Revista de Contabilidade e Organizações, 4(9), 126-144.

Faria, A. C. D., & Costa, M. D. F. G. D. (2005). Gestão de custos logísticos. São Paulo: Atlas.

Fernandes, M. G., Faria, A. C., Crispim, S. F., Fernandes, F. C. (2014). Custo para servir clientes: uma pesquisa-ação em administração condominial na Baixada Santista (SP). Enfoque: Reflexão Contábil, 33(3), 1-19.

Ferreira, J. A. S. (2007). Contabilidade de custos. São Paulo: Pearson Prentice Hall.

Freeman, B., Haasz, S., Lizzola, S., & Seiersen, N. (2000). Managing your cost-to-serve. Supply Chain Forum: An International Journal, 1(1), 18-28

Gensler, S., Leeflang, P., & Skiera, B. (2012). Impact of online channel use on customer revenues and costs to serve: Considering product portfolios and self-selection. International Journal of Research in Marketing, 29(2), 192-201.

Guerreiro, R., Bio, S. R., & Merschmann, E. V. V. (2008). Cost‐to‐serve measurement and customer profitability analysis. The international journal of logistics management, 19(3), 389-407.

Howcroft, J. (2005). Understanding profitability through cost-to-serve. Disponível em: www.advisorbase.co.nz/CosttoServe.pdf. Acesso em: 10 abr. 2018.

Kaplan, R. S.; Cooper, R. (1998). Custo e desempenho: administre seus custos para ser mais competitivo. São Paulo: Editora Futura.

Kone, E. R., & Karwan, M. H. (2011). Combining a new data classification technique and regression analysis to predict the Cost-To-Serve new customers. Computers & Industrial Engineering, 61(1), 184-197.

Martins, E. (2003). Contabilidade de custos. 9. ed. São Paulo: Atlas.

Martins, E. (2010). Contabilidade de custos. 10. ed. São Paulo: Atlas.

Mattos, M. A., Freitag, V. C., & Starke Junior, P. C. S. (2010). Os Estágios Evolutivos da Contabilidade Gerencial: estudo aplicado às empresas prestadoras de serviços contábeis de Curitiba e região metropolitana. In Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC, Curitiba.

Mauad, L. G. A., & de Oliveira Pamplona, E. (2002). O Custeio ABC em empresas de serviços: características observadas na implantação em uma empresa do setor. In Anais do Congresso Brasileiro de Custos-ABC, Curitiba.

Nakagawa, M. (2001). ABC: Custeio Baseado em Atividades. São Paulo: Atlas.

Norek, C. D., & Pohlen, T. L. (2001). Cost knowledge: a foundation for improving supply chain relationships. The International Journal of Logistics Management, 12(1), 37-51.

Robles Jr, A., Robles, L. T., & de Faria, A. C. (2005). Custos para servir: uma proposta de aplicação para uma empresa de tintas. Revista Universo Contábil, 1(1), 71-85.

Santos, W. J. L.; Padrones, K. G. S. A. (2015). Método de custeio baseado em atividades para educação básica: uma proposta de aplicação. Anais do XXVI Congresso Brasileiro de Custos, Curitiba.

Souza, A. A., Avelar, E. A., & Boina, T. M. (2008). Gestão de custos e formação de preços em empresas de produção por encomenda: estudos de casos. Revista de Informação Contábil, 2(1), 56-81.

Souza, A. A., Noveli, M., Minello, Í. F., Endrici, J. O. M., & Avelar, E. A. (2006). Análise de sistemas de informações utilizados como suporte para os processos de estimação de custos e formação de preços. ABCustos, 1(1).

Souza, F. F., Marçal, J. V. K., & Gasparetto, V. (2019). Custos Para Servir E Rentabilidade De Clientes Em Uma Empresa De Desenvolvimento De Softwares. Sociedade, Contabilidade e Gestão, 14(2), 1-16.

SINDIVEST. Indústria têxtil e do vestuário em SC (2010). Disponível em: http://www.sindivestcriciuma.com.br/index.php/o-setor. Acesso em: 05 mar. 2018.

Wernke, R. (2005). Análise de custo e preço de venda: ênfase em aplicações de casos nacionais. São Paulo: Saraiva.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2020.v10.p01-16.1322

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.