Eficiência informacional em anúncios de criação de joint-ventures no mercado acionário brasileiro

Ivan Fernandes da Cruz, Gabriel Augusto de Carvalho, Felipe Dias Paiva, Lívia Maria de Pádua Ribeiro, Uajará Pessoa Araújo

Resumo


Este estudo teve como objetivo verificar a presença da eficiência semiforte, no mercado brasileiro de ações, quando do anúncio da criação de joint-ventures. O período analisado no estudo foi de 24/05/2012 a 24/05/2017, sendo obtida uma amostra de 12 anúncios de criação de novas joint-ventures, nas quais pelo menos um dos acionistas foi uma empresa brasileira de capital aberto. Posteriormente, foi empregada a metodologia de estudo de eventos. Foram estimados os retornos esperados por meio do modelo de mercado, e então calculados os retornos anormais (AR) e os retornos anormais acumulados (CAR) durante a janela de evento. Por fim, foram realizados testes estatísticos para a média dos retornos anormais, a fim de verificar se os valores foram significativos. Os resultados do trabalho evidenciaram uma forte tendência de queda nos ARs ao longo da janela de evento, consequentemente o CAR foi fortemente negativo, atingindo um valor de -4,17% ao final da janela de evento. Tal fato indica que a criação de uma joint-venture, foi vista como negativa pelo mercado. Sobre a significância estatística dos resultados, ressalta-se que, apenas nos dois dias que antecederam o anúncio da criação da joint-venture o AR foi significativo, nos demais dias o mercado se comportou de maneira eficiente, com os AR não sendo estatisticamente diferente de zero. O resultado desta pesquisa é relevante para a decisão dos gestores que avaliam a possibilidade de estabelecer uma nova joint-venture, mostrando os impactos que essa decisão pode ocasionar nas ações de sua empresa.


Palavras-chave


Eficiência de Mercado. Eficiência Semiforte. Estudo de Evento. Joint-Venture.

Texto completo:

PDF HTML

Referências


American Bar Association - ABA. (2006). Joint-ventures: analysis of collaborations among competitors (2. ed.). Chicago: American Bar Association.

Anand, M., & Singh, J. (2008). Impact of merger announcements on shareholders’ wealth: evidence from indian private sector banks. Vikalpa: Journal for Decision Makers, 33(1), 35-54.

Avellar, A. P., Teixeira, H. A., & Paula, G. M. (2012). Joint-ventures e a política antitruste brasileira. Revista de Economia Contemporânea, 16(3), 463-486.

Bergmann, D. R., Savoia, J. R. F., Souza, B. M., & Mariz, F. (2015). Avaliação dos Processos de Fusões e Aquisições no setor Bancário Brasileiro por meio de Estudo de Eventos. Revista Brasileira de Gestão de Negócios, 17(56), 1105-1115.

Camargos, M. A., & Barbosa, F. V. (2003). Teoria e evidência da eficiência informacional do mercado de capitais brasileiro. Caderno de Pesquisas em Administração, 10(1), 41-55.

Camargos, M. A., & Barbosa, F. V. (2006). Eficiência informacional do mercado de capitais brasileiro pós-Plano Real: um estudo de eventos dos anúncios de fusões e aquisições. Revista de Administração, 41(1), 43-58.

Camargos, M. A., & Barbosa, F. V. (2015). Eficiência informacional do mercado de capitais brasileiro em anúncios de fusões e aquisições. Production, 25(3), 571-584.

Campbell, J. Y., Lo, A. W., & MacKinlay, A. C. (1997). The econometrics of financial markets (2a ed.). New Jersey: Princeton University Press.

Chen, J., King, T. H. D., & Wen, M. M. (2015). Do joint ventures and strategic alliances create value for bondholders? Journal of Banking & Finance, 58, 247-267.

Child, J., & Faulkner, D. (1998). Strategies of cooperation: managing alliances, networks and joint ventures. New York: Oxford University Press.

D’Agostini, M., Guerra, R. M. A., Sartor, R. M., & Tondolo, V. A. G. (2014). Aspectos estratégicos e relacionais das alianças do tipo joint-venture: o caso de dois fabricantes da indústria automobilística. Revista Eletrônica de Ciência Administrativa, 13(2), 267-285.

Dahab, S. S., Guimarães, F., & Dantas, J. R. (1993). Transferência tecnológica e joint-ventures no Brasil. Organização & Sociedade, 1(1), 72-96.

Damodaran, A. (2001). Corporate finance: and practice. New York: John Wiley & Sons.

Fama, E. F. (1970). Efficient capital markets: a review of theory and empirical work. The Journal of Finance, 25(2), 383-417.

Fama, E. F. (1991). Efficient capital markets: II. The Journal of Finance, 46(5), 1575-1617.

Fé Júnior, A. L. D., Nakao, S. H., & Ribeiro, M. S. (2015). Reações do mercado acionário na primeira divulgação financeira em IFRS do setor bancário brasileiro: um estudo de evento. CONTEXTUS - Revista Contemporânea de Economia e Gestão, 13(3), 81-110.

French, K. R., & Roll, R. (1986). Stock returns variances: the arrival of information and the reaction of traders. Journal of Financial Economics, 17(1), 5-26.

Gabriel, F. S., Ribeiro, R. B., & Ribeiro, K. C. S. (2013). Hipóteses de mercado eficiente: um estudo de eventos a partir da redução do IPI. Revista de Gestão, Finanças e Contabilidade, 3(1), 36-52.

Gil, A. C. (2008). Métodos e técnicas de pesquisa social (6a ed.). São Paulo: Atlas.

Hasan, I., Schmiedel, H., & Song, L. (2012). Growth strategies and value creation: what works best for stock exchanges? The Financial Review, 47(3), 469-499.

Johnson, S. A., & Houston, M. B. (2000). A Reexamination of the motives and gains in joint-ventures. The Journal of Financial and Quantitative Analysis, 35(1), 67-85.

Kogut, B. (1988). Joint-ventures: theoretical and empirical perspectives. Strategic Management Journal, 9, 319-332.

Liu, J., Aston, J., & Acquaye, D. (2014). International joint-ventures: do they enhance shareholder value? [Working Paper Nº 1403]. Regent’s Working Papers in Business & Management, London, UK.

Lopes, F. D. (2004). Perspectivas teóricas contemporâneas nos estudos das organizações: apresentação de um modelo de análise da formação de joint ventures internacionais. Cadernos EBAPE.BR, 2(3).

Mager, F., & Fackler, M. M. (2017). Mergers and acquisitions in Germany: 1981–2010. Global Finance Journal, 34, 32-42.

Maluf Filho, J. A. (1991). Eficiência do mercado de opções da Bolsa de Valores de São Paulo. Revista de Administração, 26(3), 12-22.

Mazzotti, A. J. A., & Gewandsznajder, F. (2001). O método nas ciências naturais e sociais: pesquisa quantitativa e qualitativa (3a ed.). São Paulo: Pioneira.

McConnell, J. J., & Nantell, T. J. (1985). Corporate combinations and common stock returns: the case of joint ventures. The Journal of Finance, 40(2), 519-536.

Nardy, A., Famá, R., Guevara, J. A. H., & Mussa, A. (2015). Verificação da ocorrência do efeito índice no Ibovespa – 2004-2013. Revista de Administração, 50(2), 153-168.

Newey, W. K., & West, K. D. (1987). A simple, positive semi-definite, heteroskedasticity and autocorrelation consistent covariance matrix. Econometrica, 55(3), 703-708.

Park, S., & Russo, M. (1996). When Competition Eclipses Cooperation: An Event History Analysis of Joint Venture Failure. Management Science, 42(6), 875-890.

Perobelli, F. F. C., & Ness Júnior, W. L. (2000, setembro). Reações do mercado acionário a variações inesperadas nos lucros das empresas: um estudo sobre a eficiência informacional no mercado brasileiro. Anais do Encontro Nacional da Associação Nacional de Pós-Graduação e Pesquisa em Administração, Florianópolis, SC, Brasil, 24.

Pitofsky, R. (1969). Joint-ventures under the antitrust laws: some reflections on the significance of Penn-Olin. Harvard Law Review, 82(5), 1007-1063.

Romano, P. R., & Almeida, V. S. (2015). Análise dos Efeitos em Mercado de Capitais Decorrentes de Fusões: O Caso BRF S.A.. Revista de Administração Contemporânea, 19(5), 606-625.

Selcuk, E. A. (2015). Do mergers and acquisitions create value for Turkish target firms? An event study analysis. Procedia Economics and Finance, 30, 15-21.

Silva, N. E. F., & Callado, A. L. C. (2017). Inclusão de empresas no índice de sustentabilidade empresarial: uma análise do desempenho acionário. Revista de Gestão e Contabilidade da UFPI, 4(1), 134-149.

Staikouras, S. K. (2009). An event study analysis of international ventures between banks and insurance firms. International Financial Markets, Institutions and Money, 19(4), 675-691.

Wooldridge, J. M. (2011). Introdução à econometria: uma abordagem moderna. São Paulo: Cengage Learning.




DOI: https://doi.org/10.22279/navus.2020.v10.p01-16.1080

Apontamentos

  • Não há apontamentos.




NAVUS - Revista de Gestão e Tecnologia, Florianópolis, Santa Catarina, Brasil. ISSN - 2237-4558 

Membro da Associação Brasileira de Editores Científicos 

 

Desde 18/10/2017

 

Licença Creative Commons

Os originais publicados na Navus estão disponibilizados de acordo com a Licença Creative Commons Atribuição-Uso não-comercial-Vedada a criação de obras derivadas 3.0 Brasil.